Boulos, o candidato chave de cadeia

boulos

A esquerda pequeno-burguesa é dada a entrar na onda da direita no ataque aos direitos democráticos do povo. E assim como a direita tem seus próprios argumentos morais para defender atrocidades contra o povo, a esquerda também tem suas justificativas religiosas. Nos dois casos, a a justificativa não é nada mais do que aquele falso moralismo.

Por ser atualmente o partido da esquerda pequeno-burguesa por excelência, o PSOL tem se destacado na cruzada moral e em nome dessa moralidade sua preferência é a de exigir que o Estado capitalista coloque em marcha todo o seu poder repressivo para aumentar o controle e a violência contra a população. Claro que a moralidade da esquerda pequeno-burguesa é sempre revestida da pseudo defesa de princípios que parecem progressistas. Assim, de acordo com a vontade e a política do PSOL, o Estado capitalista teria carta branca para exercer todo o tipo de abuso contra um cidadão, desde que seja em nome desses princípios abstratos.

Assim, Guilherme Boulos recentemente aplaudiu quando o Facebook derrubou mais de uma centena de páginas ligadas ao MBL. Contra o fascismo do MBL, todo o poder ao Estado capitalista, todo poder ao monopólio capitalista que tem condições de impor ao povo aquilo que ele quer ou não que apareça na internet. Perto do Estado capitalista, suas instituições como o Judiciário e a polícia, e do imperialismo, o MBL parece mais uma espécie de cos play de fascismo. Mas para o PSOL, é preciso dar mais poder aos primeiros contra o segundo. Boulos, que é dirigente de uma organização popular, comemora a censura ao MBL esperando para ser o próximo.

E por falar em MTST, Boulos, o candidato, agora decidiu ir além na sua cruzada moral. Agora passou a processar as pessoas por não concordar com o que dizem. Na verdade, Boulos exigiu que uma página fosse tirada do ar por te-lo chamado de terrorista. Boulos e sua equipe de campanha pediram agilidade do TSE para derrubar a página. Se o exemplo for seguido, veremos muitas páginas de esquerda, não de direita, sendo derrubados por terem “ofendido” algum nobre candidato burguês, com certeza muito mais nobre do que Boulos.

A última do candidato do PSOL foi processar o golpista e ator pornô Alexandre Frota. Este teria dito em seu Twitter que “cobraria a cabeça” de Boulos, justamente ao comentar sobre a censura ao Youtuber. Era uma crítica do ator pornô que o nobre candidato Boulos interpretou como uma ameaça.

Guilherme Boulos como dirigente do MTST nunca enganou com sua política pequeno-burguesa. Mas sua entrada no PSOL em plena eleição serviu para mostrar que aquela imagem que passavam dele em cima do carro de som nos atos de rua nunca foi nada mais do que uma imagem, uma demagogia de quem nada tem de verdadeiramente combativo, diferente inclusive dos milhares de companheiros que lutam pela moradia seja dentro do MTST seja em outras organizações. Boulos virou um candidato no significado mais negativo da palavra, melhor dizendo, o PSOL transformou Boulos numa caricatura de candidato burguês.

Quando as eleições terminarem, Boulos voltará para o MTST mais demagogo do que quando saiu de lá. Vai propor ao MTST parar de ocupar terrenos e fazer manifestação de rua, afinal isso pode ofender alguém e ofensa não é legal. Vamos confiar no Estado capitalista e pedir moradia para o povo, mas sem ofender ninguém.