eleições 2020
A candidatura do PSOL tem como objetivo central tirar votos do PT
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
boulos
Boulos | arquivo

O jogo eleitoral é constituído de muitas miragens e contra informações para pautar ou mesmo impor uma determinada política. Um dos instrumentos centrais neste jogo é a fabricação artificial de preferencias eleitorais, e pretensas lideranças, antes mesmo da abertura das urnas. Para isso, as pesquisas eleitorais direcionadas e mais que isso a repercussão dada pela imprensa capitalista desses “resultados parciais”, que apresentados em si mesmo como fatos inquestionados.

Recentemente, vimos este fenômeno se repetir com a exaltação da candidatura de Guilherme Boulos para prefeitura de São Paulo. Dessa forma, mesmo antes do inicio da campanha eleitoral, antes até mesmo das convenções partidárias e definidos os candidatos, a imprensa capitalista joga confete e serpentina no candidatura do PSOL, apresentando Boulos como o “ melhor colocado” entre os candidatos da esquerda paulistana, alguns veículos da imprensa capitalista, mais deslumbrados ( como a reacionária Veja) chegaram a projetar a possibilidade de vitória de um candidato que teve a pior votação de um candidato presidencial do PSOL nas últimas eleições.

Alguns setores da direita do PT e da intelectualidade “bem pensante” pequeno burguesa lançaram um manifesto em apoio ao candidato do PSOL, sendo que personalidades do PT como Tarso Genro e o jornalista Breno Altman, entre outros sugeriram que o PT deveria abrir mão de seu candidato e apoiar Boulos. Embalados pela imprensa, os defensores da frente ampla passaram de maneira insistente a elogiar a “representatividade” e “ combatividade” de Guilherme Boulos.

As eleições de 2020 estão sendo montadas para servirem para favorecer a direita, e tem como objetivo central desidratar o PT, visto como adversário da direita tradicional e como obstáculo para o estabelecimento da reorganização do centro. A fantasia criada em torno da “ força eleitoral” de Guilherme Boulos é parte de uma jogada para retirar votos do PT e favorecer o centro “ democrático”, que deu o golpe de Estado de 2016.

Na medida em que novas pesquisas são publicadas e se aproxima as eleições, a operação para favorecer a direita tradicional vai ficando cada vez mais evidente, pois o prefeito Bruno Covas e Russomanno estão na liderança, com Marta Suplicy em terceiro, seguida por Paulo Skaf e Márcio França.

Com base nos primeiros números de pesquisas, que Boulos não tem chances de ganhar como estão apresentando pra fazer propaganda. Vai ficando cada vez mais claro que a função dele como candidato é dividir os votos da esquerda

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas