Boulos e PSOL: vendedores de ilusões

Boulos e psol

A candidatura a presidente da República de Guilherme Boulos pelo Psol (Partido do Socialismo e Liberdade), coordenador do MTST (Movimento dos Trabalhadores dos Sem Teto) está criando uma pequena confusão no meio da esquerda e daqueles que lutam contra o golpe e a prisão de Lula.

Alguns acham que de fato Boulos e o Psol estaria defendendo Lula e lutando contra o golpe.

Diante da confusão é necessário aqui levantar dados e fatos que mostram que a candidatura de Boulos do Psol não é só uma candidatura abutre (que tenta se alimentar do fato de Lula estar preso e impossibilitado de concorrer), como também semeia a ilusão na esquerda de que é possível derrotar os golpistas no seu terreno, no campo das instituições do regime que hoje estão controlados pelos golpistas, como por exemplo, a da improvável eleição de 2018.

Primeiro, é preciso lembrar que Boulos e o Psol se recusaram a participar da FBP (Frente Brasil Popular), criada para lutar contra o golpe, porque o candidato do PSol, não só não acreditava no golpe, como não queria de maneira nenhuma aparecer defendendo o governo do PT e Lula.

Para isso, Boulos e o Psol criaram o movimento “Povo Sem Medo”, que em meio aos ataques da direita ao governo de Dilma, se juntaram com a direita para atacar Dilma com a ideia de que estavam lutando contra os ajustes fiscais do governo do PT. Hoje está claro que a política de Boulos de lutar contra o ajuste fiscal de Dilma só reforçou o golpe e um verdadeiro ajuste fiscal que os golpistas estão impondo a todo povo brasileiro.

Segundo, que a candidatura de Boulos no Psol não ajuda em nada na luta contra o golpe, pelo contrário. A candidatura de Boulos é uma candidatura que enfraquece Lula, o PT e a luta contra o golpe, já que Boulos disputa os votos de Lula, apesar de que nada indica que os eleitores de Lula migrarão seus votos para Boulos.

Boulos e o Psol, nesse sentido, são verdadeiros vendedores de ilusão, quando propagam que sua candidatura a Presidência serve para lutar contra os golpistas.

Boulos tem 1% de intenção de votos segundo institutos de pesquisas controlados pelos golpistas, ou seja, é uma candidatura que servirá apenas para criar um coeficiente eleitoral para eleger e manter a bancada parlamentar do PSol, não é uma candidatura para sequer ir para o segundo turno.

Outra questão importante para analisar a farsa da candidatura de Boulos, é que está candidatura não tem programa algum para a classe trabalhadora, estão divulgando uma plataforma na internet em que as pessoas é que definiram o programa que Boulos deve defender nas eleições.

Ou seja,  as propostas da candidatura de Boulos do Psol partirá da defesa da democracia burguesa, de que não existe luta de classes na sociedade capitalista, mas que o “povo” que tem acesso a internet é que definirá o seu programa eleitoral, a partir da plataforma online do “Vamos” .

Esse método de organização só demonstra que o programa do Psol e de Guilherme Boulos tem uma base burguesa e não operária, portanto, Boulos se posiciona à direita do PT, pois mesmo o PT tendo uma tendência a conciliação de classes, seu programa se baseia na experiência prática dos movimentos sociais e da classe trabalhadora, e não de uma pseudo democracia burguesa, feita por uma consulta na internet.

Diante disso, é nítido que a candidatura da esquerda pequeno burguesa de Boulos do Psol, além de ser uma candidatura abutre, que se alimenta da desgraça de Lula e do PT, também é uma candidatura que só serve para semear ilusões na esquerda e desarmar os ativistas da luta contra o golpe no Brasil.