Menu da Rede

Domingo: Rui C. Pimenta apresentará balanço da situação política

"O gabinete do amor"

Boulos e Covas: uma briga de comadres

Guilherme Boulos, lançado pela legenda do PSOL, e Bruno Covas, trocam afagos no debate da CNN e mostram o que é a frente ampla: pavimentar o caminho para direita

Boulos em Covas trocando sorrisos amorosos antes do debate – Foto: Kelly Queiroz/CNN Brasil

Redação do DCO

Pedro Catelli

Ontem, 16/11, teve início o primeiro debate entre os candidatos escolhidos pela burguesia para “disputar” a prefeitura de São Paulo, realizado pelo CNN. São eles Bruno Covas, do PSDB, e Guilherme Boulos, lançado pela legenda do PSOL. De um lado, estava representado uma figura ligada a FIESP, aos grupos de banqueiros, financiados por grandes capitalistas e figura de confiança desses grupos, um dos responsáveis por destruir o Estado de São Paulo e o candidato do fascista governador do Estado,  Joao Doria. Do outro, uma candidatura sem lastro social real, “popular”, que se restringe apenas aos bairros de classe média de São Paulo, o “líder” das manifestações no Largo da Batata, embora fosse uma figura mais pálida na multidão dos atos da Av. Paulista, uma esquerda bem vista por toda direita, elogiada por toda a grande imprensa golpista nacional. O debate entre as duas figuras não poderia ser diferente: tapas de luvas de pelica, criticas mornas, afagos; e, claro, uma enchente de demagogia de ambas as partes.  

Para o telespectador era difícil diferenciar quem era a esquerda e a direita do debate, afinal o vermelho faltava até em gravatas. Era o debate dos “civilizados”, cheio de respeito e amor. O que poderia diferenciar, de algum modo, para quem se aventurou assistir ao debate, seria saber quem é Guilherme Boulos, de qual partido, mas o candidato não se deu ao trabalho de citar em nenhum momento de qual partido faz parte. Restou o estilo, já que Boulos trazia consigo a clássica barba uspiana e Covas estava parecendo um político tradicional da direita golpista; apático, sem emoção, tranquilo do que virá, pois, a máquina eleitoral está a favor dele, independente das asneiras que falar. No conteúdo, alguns deslizes da direita e da esquerda. Enfim, um baile de oportunismo e carreirismo, deixando qualquer um confuso sobre quem é quem. 

O debate foi politicamente pedagógico e esclarecedor do porquê tanto Covas, quanto Boulos, foram os escolhidos para pavimentar a vitória da direita golpista, em especial o Centrão, nas eleições municipais. Bruno é, como dito acima, figura cujo grupo político nunca fica de fora do clássico segundo turno das eleições, mas e Guilherme? Esse, por sua vez, é o que é conhecido na linguagem popular como o “bom menino”. Aquele que não ataca, não denuncia, não incomoda. Na política, isso recebe o nome de cooptado, uma oposição bem-comportada; que não é uma oposição de fato. Foi assim em todo debate. Um mar de “amor” e uma falta de críticas e denúncias.  

E com um “você deixou a desejar” começa a primeira crítica amorosa de Guilherme Boulos a seu suposto rival nas eleições. Antes, claro, sem deixar de se referir com o eleitoreiro “se eu for eleito”. E isso se repete, repete, repete… durante uma hora e meia.  

Primeiro essa parte sobre o coronavírus veio bem a calhar, porque ambos os candidatos oferecem uma política inócua para a situação de gigantesca crise sanitária, que está sendo usado por figuras como Bruno Covas para realizar um verdadeiro genocídio da população. Boulos oferece um programa lindo para acabar com o coronavírus e Covas diz que tem esse programa e ele está em marcha. É difícil saber qual é mais mentiroso. Em nenhum momento Boulos faz uma dura crítica e convoca a população para barrar o genocídio. É algo morno, de compadre. Sem contar que a postura defensiva de Boulos é para deixar qualquer um com os dois pés atrás. Claro que haveria essa defensiva, já que ele mesmo tem suas ligações com essa política. Como sabemos, Marcos Boulos, seu pai, é de um cargo de confiança do PSDB. Por isso, não é genocídio, é deixar a desejar. 

Outra parte do debate, onde a água esquentou um pouco embora sem sequer chegar perto de ferver,  Covas parece ter alguma alma dentro do corpo e lança um ataque bolsonarista contra Boulos, citando que ele é do movimento MTST de forma pejorativa. Boulou acusa Covas de bolsonarista? Nada mais longe. Boulos orienta, muito calmo, muito bem-comportado, que o “ódio” não pode vencer o amor. Não é um ataque, é uma orientação à direita que é próxima do bolsonarismo. Chama a votar “com esperança”. 

Fica claro nesse debate que Boulos é um candidato apoiado pela burguesia, pelo menos para fazer o papel de grilo falante da direita que ele fez no debate. Dessa forma, mesmo que não  para fazer futurologia, Boulos pavimenta o caminho para vitória da direita. Afinal, uma figura natimorta como Covas consegue sambar na sua cabeça. Essa é a figura que a burguesia, de forma muito artificial, tenta lançar para substituir Lula em 2022 e manter Bolsonaro até lá. 

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.