Oportunismo
Partido do ex-candidato à prefeito de São Paulo votou contra a greve dos professores estaduais
16112020---guilherme-boulos-psol-e-bruno-covas-psdb-antes-do-debate-da-cnn-brasil-para-a-prefeitura-de-sao-paulo-1605571149888_v2_1920x1279
Boulos se torna cada vez mais um aliado do PSDB | Foto: Reprodução
16112020---guilherme-boulos-psol-e-bruno-covas-psdb-antes-do-debate-da-cnn-brasil-para-a-prefeitura-de-sao-paulo-1605571149888_v2_1920x1279
Boulos se torna cada vez mais um aliado do PSDB | Foto: Reprodução

Guilherme Boulos, que tenta dar golpe no PT e ser o candidato da esquerda em 2022, distorceu o sentido da greve dos professores de São Paulo, iniciada ontem (08), em comentário no Twitter.

Segundo o burocrata do PSOL, os educadores querem que a “volta às aulas presenciais seja feita de forma segura”. Essa não é a reivindicação da greve. Os professores estão lutando contra a volta às aulas.

Não há como a volta às aulas ser segura no meio de uma pandemia que mata mais de mil pessoas por dia no País. Essa posição é uma posição que avaliza a política de volta às aulas de João Doria e Bruno Covas. A volta às aulas deve ocorrer somente com a população imunizada e com o fim da pandemia, como defende a corrente Educadores em Luta/PCO.

Por que Boulos distorce a reivindicação principal da greve? Aparentemente, ele é a favor da volta às aulas. Talvez por isso a corrente Resistência, do PSOL, uma das maiores aliadas de Boulos, tenha votado contra a greve

Relacionadas
Send this to a friend