Boulos: como não serei eleito, prometo indulto ao Lula

boulos

Pode parecer contraditório, mas apresentar uma candidatura que não possui nenhuma possibilidade real de vitória nas eleições tem lá suas vantagens. A maior delas é que o candidato com baixa votação pode apresentar as propostas mais ousadas, estapafúrdias e escatológicas possíveis e imagináveis, uma vez que não há qualquer compromisso com uma eventual vitória, por mais remota que seja.

Nestas eleições farsescas de 2018, marcadas indelevelmente pela retirada arbitrária do ex-presidente Lula da disputa, há um candidato que se destaca pelas propostas extravagantes, quando já é de domínio público a inviabilidade de sua vitória eleitoral. Estamos falando do candidato gestado pelo Psol, que lhe serviu de ‘barriga-de-aluguel’, o senhor Guilherme ‘pé no barro’ Boulos.

Pode parecer surpreendente, mas Boulos não parece compartilhar dessa opinião. Com frequência, o candidato delirante pronuncia frases como “Quando eu for presidente, …”, demonstrando por um lado um descolamento total da realidade e por outro, um caráter artificial, de candidato profissional, de papelão.

Boulos acredita que será presidente. Ele ilude seus eleitores e as pessoas que ouvem suas palavras. Trata-se de fazer com que as pessoas acreditam nas instituições burguesas, legitimando estas eleições. Na realidade, a eleição no regime burguês, em geral, sempre é fraudada. Em 2018, temos eleições ainda mais fraudulentas, uma vez que o candidato favorito de 60 milhões de brasileiros, à frente de todos os outros concorrentes, ou seja, Lula, foi impedido de maneira arbitrária de participar das eleições.

Diante das declarações recentes de Haddad, que, pressionado sistematicamente pela imprensa golpista tem dito que não pretende indultar Lula “por que ele mesmo não quer”, Boulos mostrou ter um afiado senso de oportunidade. Em visita ao Rio de Janeiro, Boulos afirmou que dará indulto a Lula caso seja eleito.

Essa declaração de Boulos foi publicada pelo portal golpista G1. A rede Globo sabe que Boulos não tem nenhuma chance de vitória, mas o fato é que a sua própria candidatura e bravatas desse tipo servem para tirar alguns votos do vacilante candidato do PT, Fernando Haddad. Nesse sentido a candidatura de Boulos desempenha um caráter similar à de Ciro.

Enquanto o país caminha em ritmo acelerado para a ribanceira, Boulos nos brinda com uma candidatura de brinquedo, que só serve aos interesses mesquinhos da direita golpista e do PSOL. Enquanto isso, o povo brasileiro que se lasque.