Marionete de Trump: escritório de Eduardo Bolsonaro mostra que a pátria dele não é o Brasil

naom_5996a27c8b5b9

O site da revista de negócios norte-americana Bloomberg Businessweek, teve acesso ao gabinete de um dos filhos do candidato à presidência da república Jair Bolsonaro em Brasília, o deputado Eduardo Bolsonaro e mostrou ao mundo o quanto ele é “nacionalista”.

Em uma das paredes do gabinete aparecem juntas réplicas em miniatura de armas (fuzis norte-americanos), carros da Polícia Federal brasileira e uma Bíblia.

Na mesma parede coloca o emblema da Polícia Federal acima de um bottom ampliado com a imagem da bandeira de Gadsden, que representa o movimento de supremacia Branca nos Estados Unidos (Don’t Tread on Me) e que na década de 60 foi utilizada pela organização racista Ku Klux Klan, a mesma que apoia a candidatura de seu pai à presidência.

Também ostenta na mesma parede símbolos da NRA (National Rifle Association), de movimentos conservadores contra o aborto e a segunda emenda norte-americana de 1791, que protege o direito da população de manter e portar armas de fogo.

Para completar a coleção de bizarrices, dentre outras coisas, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, também mantém em seu escritório uma pequena coleção com 3 bonequinhos de ex-presidentes norte-americanos (Reagan e George Washington) e do atual presidente Trump. Na porta do gabinete, como não poderia faltar, um crucifixo.

Essa coleção de objetos, que em sua maioria faz apologia aos Estados Unidos, deixa claro que não se trata de uma família de nacionalistas, mas sim de fascistas, entreguistas, racistas e acima de tudo, marionetes do imperialismo norte-americano.

Precisamos nos organizar em comitês de auto-defesa para barrar o avanço do golpe, que visa a retirada de todas as garantias sociais da classe trabalhadora brasileira e a entrega das nossas riquezas ao capital internacional.