Fora Bolsonaro
Bolsonaro e seus asseclas pretende dar de mãos beijadas toda a indústria nacional aos saqueadores internacionais
petrobras1
Polo de produção da Petrobras, um patrimônio nacional | Foto: Reprodução
petrobras1
Polo de produção da Petrobras, um patrimônio nacional | Foto: Reprodução

Não é novidade que os golpistas sempre miraram as principais empresas nacionais. Atuando como agentes infiltrados do imperialismo, a política entreguista de Bolsonaro e seus asseclas pretende dar de mãos beijadas toda a indústria nacional aos saqueadores internacionais. Sob o controle dos golpistas, a Petrobras revelou que pretende se desfazer de um importante Polo industrial nacional.

Nesta segunda-feira, 24, a Petrobras anunciou a venda do Polo Potiguar, o qual reúne todas as suas operações no Rio Grande do Norte. O impacto dessa política criminosa visa entregar ao capital privado a totalidade das participações da empresa em um conjunto de 26 concessões de campos de produção terrestres e de águas rasas. Contrária a esse ataque contra a economia regional e nacional, a governadora Fátima Bezerra (PT) afirmou em seu Twitter que não fora sequer notificada e irá dialogar com os trabalhadores locais e o governo federal para que essa decisão criminosa seja revertida.

Só para termos uma ideia do impacto negativo para a soberania nacional, de acordo com a Petrobras, o ativo compreende os subpolos Canto do Amaro, Alto do Rodrigues e Ubarana, reunindo 23 concessões terrestres e três marítimas, além do acesso à infraestrutura de processamento, refino, logística, armazenamento, transporte e escoamento de petróleo e gás natural. Ainda segundo a própria empresa, o Polo Potiguar registrou produção média de aproximadamente 23 mil barris por dia (bpd) de petróleo e 124 mil metros cúbicos diários de gás natural no primeiro semestre deste ano.

“A saída da Petrobras do Rio Grande do Norte não é um fato qualquer de maneira nenhuma, dado o que ela representa para o nosso estado”, disse Fatima. “Repito, o governo federal não tem o direito de deixar a Petrobras sair do Rio Grande do Norte dessa forma. Isso é inaceitável. Nós lutaremos e resistiremos!”, complementou.

Embora esse ataque já represente um assalto ao patrimônio nacional, os golpistas avançam em outras entregas. Na última sexta-feira, 21, a Petrobras assinou contrato para a venda de 100% da sua participação no Polo Rio Ventura, localizado na Bahia, à 3R Petroleum e Participações por míseros US$ 94,2 milhões – o que está longe do seu valor real. O entreguismo dos patifes que assaltaram o país não tem limites. A entrega foi completa, mas a venda será parcelada e a longo prazo. Segundo a Petrobras, o valor é composto por US$ 3,8 milhões pagos nesta sexta-feira, US$ 31,2 milhões a serem pagos no fechamento da transação, US$ 16 milhões que serão pagos 30 meses após o fechamento da transação e US$ 43,2 milhões em pagamentos contingentes previstos em contrato. A produtividade do ativo, por sua vez, encheu os olhos das rapinas imperialistas. Segundo dados da própria Petrobras, a produção do ativo somou aproximadamente 1.050 bpd e 33 mil metros cúbicos diários de gás somente no primeiro semestre deste ano.

É preciso deixar claro que essa política criminosa é a política do imperialismo para atacar os países de economia atrasada. Bolsonaro e seus asseclas se consagram como os representantes dos interesses dos grandes capitalistas internacionais que tem o controle da produção e da circulação de mercadorias em todo o globo. A entrega das riquezas do país é um atentado contra toda a população brasileira. O resultado dessa ação criminosa será a destruição da Petrobras e da industrialização da região, portanto – a destruição da economia e da soberania nacional.

Relacionadas
Send this to a friend