Para o povo só ataques
Após meses de pagamento do auxílio as filas gigantescas continuam a cobrar um preço alto de quem precisa do auxílio, uma verdadeira tortura.

Por: Redação do Diário Causa Operária

Após 4 meses da previsão da primeira parcela do auxílio emergencial de 600 reais, para receber, a população pobre segue enfrentando longas filas nas agências da Caixa Econômica Federal.

Já foram registrados todo o tipo de absurdo, como filas que se formaram na noite do dia anterior, obrigando pessoas a dormirem na fila ou pagarem outras pessoas para fazê-lo, no caso de pessoas que não tinham condições físicas de suportar essa situação, pessoas que passaram 6, 8 horas na fila sob sol quente ou debaixo de chuva.

Mesmo com a direção bolsonarista da Caixa afirmando ter “tomado todas as medidas” a situação continua ocorrendo, o que significa uma verdadeira tortura imposta pelo governo Bolsonaro que, de fato, nunca quis pagar auxílio nenhum para a população como afirmou o presidente ilegítimo em março, bem como faz isso como uma forma de dificultar ao máximo o acesso, até para que muitas pessoas não consigam o auxílio e “economizem” esse dinheiro, como é a lógica de Bolsonaro e Paulo Guedes.

Veja algumas situações:

 

 

 

Send this to a friend