Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
domestica-como-avaliar
|

Os efeitos do golpe já são sentidos pela classe trabalhadora que, diariamente, é oprimida pelo governo ilegítimo e golpista de Michel Temer, o presidente fantoche.

No que diz respeito, por exemplo, à reforma trabalhista, o medo foi uma das causas que reduziu, em 50%, o número de processos efetuados por empregadas domésticas, contra injustiças cometidas por seus patrões, desde a efetivação da reforma trabalhista, em novembro de 2017. O art. 791-A é uma das formas de exemplificar a opressão sofrida pela categoria. O mesmo impõe que o trabalhador que venha a perder ação judicial da área do trabalho é obrigado a pagar todas as despesas relativas ao caso. Ou seja, mais uma forma de os patrões lucrarem em cima de empregadas de todo o país.

Este foi o caso da doméstica Maria Eliana da Silva. A moça, que é viúva, desempregada e mãe de três filhos, moveu uma ação na Justiça do Trabalho de São Paulo, cobrando vínculo empregatício. A trabalhadora perdeu o caso e foi condenada, pelo juiz da 1ª Vara do Trabalho de Taboão da Serra, a pagar os honorários do advogado de seu antigo patrão, totalizando R$6.738,54. A defesa recorreu e, no momento, o caso segue em suspenso.

Para a presidenta da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas (FENATRAD), Luiza Batista, “as trabalhadoras domésticas sempre foram excluídas de direitos e agora também serão excluídas de acesso à justiça”.
Um dos maiores apoiadores da opressão às domésticas é o fascista Jair Bolsonaro (PSL). O presidenciável já anunciou publicamente que foi o único a votar contra a PEC das Domésticas, que garantiu direitos à categoria, tais como uma jornada de trabalho não poder ser superior a 44 horas semanais, além da proibição do desempenho da função por menores de 18 anos, bem como acesso à proteção social. Jair Bolsonaro assume o lado daqueles que exploram a classe trabalhadora, sendo adepto da repressão, em especial, das mulheres, pobres, negros, índios e homossexuais. O capacho do imperialismo já anunciou que, se eleito, fará vigorar medidas de opressão à população, a exemplo, também, das terceirizações.

Mesmo com o avanço da PEC das Domésticas, o quadro ainda é alarmante. Segundo a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (PNAD), realizada neste ano, das 6 milhões e 166 mil trabalhadoras da categoria, apenas 15% contribuem para Previdência Social e só 1,8 milhão possuem carteira assinada.

Com o avanço da direita, expressa por Jair Bolsonaro (PSL) no pleito deste ano, a retirada de direitos da classe trabalhadora será uma das principais medidas do presidenciável, caso eleito, o que já vem sendo feito pelo presidente golpista Michel Temer. Mais um exemplo dos ataques à classe trabalhadora, efetuada pelo presidenciável fascista, foi seu posicionamento favorável à Emenda Constitucional 95, que congela investimentos sociais, tais quais Saúde e Educação públicas, bem como a entrega do pré-sal.

Já é claro que as eleições são processos manipulados e fraudados, controlados pela direita. Esta que, em 2016, desrespeitou a vontade de mais de 54 milhões de brasileiros e consolidou o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, lança, no pleito deste ano, um fascista para a presidência da República. Neste sentido, a única forma de barrar o avanço da direita é por meio da mobilização popular. Esta, historicamente, a única forma da classe trabalhadora conquistar e garantir seus direitos, que, atualmente, são retirados pelos golpistas, como o capacho do imperialismo, o fascista candidato a presidência Jair Bolsonaro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas