Bolsonaro se reunirá com Temer: seu governo será uma continuidade e aprofundamento do golpe

bolsonaro

Da redação – Jair Bolsonaro pretende visitar Michel Temer em Brasília após o resultado das eleições para o segundo turno (28). Essa reunião de transição de governos, dada a eleição quase certa do candidato do PSL, deverá ajustar a pauta do governo Bolsonaro para que ele continue cumprindo a pauta do golpe imperialista no Brasil.

Temer e Bolsonaro concordam naquilo que Temer chama como “marcas de seu governo”: o teto de gastos e a reforma trabalhista. Toda essa tranquilidade na transição de governos indica que Jair Bolsonaro é o candidato do golpe e deve seguir com a pauta levada por Temer aprofundando a repressão e a perseguição a esquerda e aos trabalhadores como método de estabilizar a possível crise política decorrente dessas medidas.

“Nós faremos uma reunião muito tranquila em relação ao novo presidente. Os dados estão sendo equacionados e formatados”, disse Temer ao referir-se a Bolsonaro. Os acertos entre governos se darão a partir dos documentos redigidos por Eliseu Padilha, ministro da Casa Civil, que objetivam a continuidade do programa de Temer no mandato do próximo candidato.

Jair Bolsonaro já indicou que apenas “aperfeiçoará” as medidas golpistas. Para proteger os responsáveis por essas medidas impopulares, o ministro da Defesa deve autorizar que o transporte do novo presidente seja realizado pelos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB).

Esse acerto entre golpistas mostra claramente que as eleições são uma fraude com a finalidade única de estabilizar o golpe a partir da suposta “escolha  popular” do novo governo entreguista do Brasil. A esquerda precisa reagir contra esse engodo denunciando as instituições burguesas que prenderam Lula e o tiraram das eleições.

É preciso denunciar a fraude eleitoral e chamar o povo a se organizar nas ruas sob as palavras de ordem “Fora Bolsonaro e todos os Golpistas” e “Liberdade para Lula”. É preciso criar e fortalecer os comitês de Luta contra o Golpe e os Comitês de Autodefesa, para garantir a luta popular em seu locus de poder – as ruas. A 2ª Conferência Nacional Aberta de Luta Contra o Golpe, em 8 e 9 de dezembro em São Paulo, será um dos principais eventos para essa articulação e os movimentos populares estão convidados a participar em peso.