Investigações
Nesta quinta-feira (26), Jair Bolsonaro comunicou ao STF sua recusa em prestar depoimento presencialmente à Polícia Federal.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
naom_5d6b85ec2fabb
Jair Bolsonaro. | Reprodução.

O presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL, sem partido) comunicou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (26), sua recusa em prestar depoimento presencial à Polícia Federal, no inquérito que investiga a suposta tentativa de interferência do presidente na corporação.

A decisão foi informada à Suprema Corte pela Advocacia-Geral da União (AGU). O ministro Celso de Mello havia determinado que Bolsonaro teria que comparecer pessoalmente.

Em 2018, após realização da condução coercitiva ilegal do ex-presidente Lula (PT), o STF proibiu a medida. Portanto, Bolsonaro não pode ser conduzido coercitivamente por agentes da PF e nem ser punido caso seja intimado.

O inquérito foi aberto em abril, após o ex-ministro Sergio Moro denunciar a suposta tentativa de interferência de Bolsonaro na PF com o intuito de proteger a si mesmo e seus filhos e aliados políticos.

A AGU solicita a conclusão das investigações ao relator Alexandre de Moraes.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas