Não às demissões
Presidente golpista da Caixa, Pedro Guimarães, ao apresentar os resultados financeiros do banco defende as demissões e a privatização do único banco 100% público
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Agência da Caixa Econômica Federal | Foto: Reprodução

Nesta semana a direção golpista da Caixa Econômica Federal apresentou o resultado financeiro do 3º trimestre deste ano. Se aproveitam da situação para intensificar a campanha dos golpistas de privatizar o único banco do país 100% público.

A Caixa obteve nesse 3º trimestre um lucro líquido ajustado de R$ 2,6 bilhões, um crescimento, em comparação ao 2º trimestre, de 1,7%, com isso o lucro líquido acumulado do ano chegou a R$ 8,3 bilhões.

Uma das questões que chama atenção, na declaração do presidente golpista da Caixa, Pedro Guimarães, ao apresentar os resultados do banco, diz respeito ao “aumento” das despesas em relação aos trabalhadores: “Basicamente, o ajuste veio por uma questão de provisões extras de crédito da ordem de R$ 1,1 bilhão e do acordo coletivo, com aporte no Saúde Caixa e abono, os dois juntos na ordem de R$ 300 milhões”, afirmou Guimarães, durante a apresentação dos resultados, nesta quarta-feira (25/11). O Relatório de Análise de Desempenho da Caixa acrescentou que “a variação do lucro foi gerada, principalmente, pelos aumentos de 2,7% na margem financeira, 13,4% nas receitas de prestação de serviços, e pelos crescimentos de 2,3% nas despesas de pessoal e de 4,7% das outras despesas administrativas”. (Correios Braziliense 25/11/2020)

Guimarães, além de atacar os trabalhadores, aproveita para defender a privatização quando se refere à criação do banco digital a partir do Caixa Tem, com a abertura do seu capital, “Nós pretendemos realizar a abertura de capital, em sendo aprovado, tanto fora do Brasil, quanto dentro”. (idem)

Na esteira da política neoliberal da direção da Caixa, colaborando com a apresentação dos resultados da empresa e as declarações do seu presidente, a Caixa, recentemente, implantou mais um famigerado Plano de Demissão “Voluntária” (PDV) com o objetivo de jogar no olho da rua 7,2 mil pais de famílias; até o momento 2,3 mil trabalhadores aderiram ao plano. O presidente golpista da Caixa, Pedro Guimarães, desde que assumiu a direção da empresa vem sistematicamente implementando mediadas no sentido de privatizar o banco. A empresa vem passando por um processo de reestruturação, onde já foram fechadas centenas agências e dependências bancárias, com descomissionamento, demissões em massa através de PDV’s, o quadro funcional que antes contava com mais de 101 mil funcionários e hoje conta com apenas 84 mil, com as demissões, passará a contar com pouco mais de 70 mil funcionários e, além disso, há as tentativas de leilão das suas subsidiarias, tais como a Lotex, setor de seguridade, cartões, etc., o próprio Pedro Guimarães já admitiu diversas vezes que não vê problemas na possibilidade da abertura de capital da Caixa.

Contra a política de terra arrasada dos golpistas à classe trabalhadora, com o objetivo de beneficiar meia dúzia de banqueiros e capitalistas, é necessário que as organizações de luta dos trabalhadores preparem, imediatamente, uma verdadeira mobilização, através dos métodos tradicionais de luta da classe trabalhadora para barrar a ofensiva reacionária da direita golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas