Taxar pobres e livrar os ricos
Uma convulsão social está sendo gestada sob o genocídio de mais de 116 mil mortes promovidas pelo governo fascista
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
08a47d4253fc6cbad632c(1)
A tentativa de forçar a distribuição de renda entre os pobres, enquanto acoberta a renda dos ricos. | Foto: Reprodução

Uma convulsão social está sendo gestada sob o genocídio de mais de 116 mil mortes promovidas pelo governo fascista. É sob esta perspectiva que o governo quer resolver a necessidade do auxílio, para evitar a convulsão social, espremendo ainda mais os trabalhadores. É uma tentativa de forçar a distribuição de renda entre os pobres, enquanto acoberta a renda dos ricos.

Neste ponto de vista o governo fascista argumenta que para Renda Brasil chegar a R$ 300, é preciso cortar deduções do IR, diz Guedes a Bolsonaro. Assim, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse ao presidente Jair Bolsonaro que para o benefício médio do Renda Brasil chegar a R$ 300, como quer o presidente, é preciso cortar as deduções de saúde e educação do Imposto de Renda.

A manobra do governo estuda a possibilidade de Bolsonaro fingiu achar pouco o valor médio de R$ 247 para o novo programa pensado pelo governo para substituir o Bolsa Família. Hoje, o valor médio pago pelo programa criado pela gestão petista é de R$ 190. Quem não se lembra que Guedes e Bolsonaro queriam apenas R$ 200,00 para o auxílio emergencial?

Por outro lado, a criação do Renda Brasil está atrelada a uma reformulação de programas considerados “ineficientes” pela equipe econômica, como abono salarial (benefício de um salário mínimo voltado para quem ganha até dois pisos) e seguro-defeso (pago a pescadores artesanais no período de reprodução dos peixes, quando a pesca é proibida), entre outros.

O fato é que, nesta terça-feira, 25, Bolsonaro disse a parlamentares que deseja manter valor do Renda Brasil igual últimas parcelas previstas do auxílio emergencial, ou seja, apenas R$ 300. Com isso, o governo quer evitar que o programa de assistência social para substituir Bolsa Família comece com o desgaste de um valor menor do que o benefício pago atualmente a informais para enfrentar a crise provocada pela pandemia.

Contudo, Guedes disse ao presidente que é possível ampliar o valor para R$ 300, desde que haja um corte nas deduções do Imposto de Renda. Segundo dados manipulados por Guedes na Receita Federal, os mais ricos são os mais privilegiados com o abatimento de despesas médicas e educacionais da base de cálculo do imposto.

Ainda segundo Guedes, Estudo do Ministério da Economia aponta que as deduções representam o valor mais expressivo —R$ 15,1 bilhões ao ano— dentre os chamados gastos tributários do governo com saúde. Isso representa quase um terço dos subsídios na área.

A taxação de grandes fortunas e dos banqueiros, que poderia plenamente ser realizada, está totalmente fora dos planos dos golpistas. Passou da hora de derrubar esses golpistas genocidas do governo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas