Bolsonaro oficializa embaixadora fajuta da Venezuela

04/06/2019 Cerimônia de Apresentação de Cartas Credenciais do

Em solenidade oficial na última terça-feira, dia 04 de junho, o presidente Jair Bolsonaro recebeu as credenciais de novos embaixadores no Brasil, entre eles a senhora María Teresa Belandria Expósito, indicada representante da Venezuela no Brasil pelo autoproclamado “presidente” Juan Guaidó.

É muito provável que no momento dos cumprimentos protocolares oficiais os dois impostores tenham se sentido muito à vontade, pois ambos nada representam; ou, melhor dizendo, são os legítimos representantes da fraude, da impostura e da mais completa ausência de popularidade, cada qual a sua maneira em seus respectivos países.

A senhora embaixadora desembarcou em Brasília não para representar a Venezuela – que já tem seu corpo diplomático estabelecido na capital nomeado pelo legítimo governo eleito pelo sufrágio popular, liderado por Nicolás Maduro – mas para criar uma linha de confronto e abrir um incidente diplomático internacional com a República Bolivariana, o que só pode ser entendido como um acintoso insulto ao povo venezuelano.

Bolsonaro já havia sinalizado essa disposição de confrontar-se com  a legitimidade das urnas que elegeu o presidente Maduro com ampla margem de votos em relação aos demais concorrentes que participaram do último pleito no país vizinho em 2018. O fraudulento presidente brasileiro, já antes mesmo de sua posse em janeiro, deu reiteradas declarações atacando o regime bolivariano, não reconhecendo a eleição como legítima, se somando às vozes que ecoaram em alinhamento com o imperialismo ianque e também europeu, que ainda hoje insistem em não reconhecer a legitimidade do governo bolivariano eleito democraticamente, com amplo reconhecimento da comunidade internacional.

A impostora e postiça embaixadora indicada pelo não menos impostor, golpista e capacho do imperialismo, Juan Guaidó, só poderia mesmo receber as credenciais diplomáticas de um outro impostor e igualmente golpista, o presidente fake Jair Bolsonaro, pois eles se reconhecem no mesmo ofício; quer dizer, na arte de serem impopulares, na arte de serem fraudadores, na arte de agirem como serviçais do imperialismo, na arte de serem emissários não oficiais de Donald Trump.

Ao receber em solenidade no Palácio do Planalto a representante indicada por um conspirador golpista que atua a serviço de interesses claramente identificados com uma nação estrangeira (Estados Unidos da América), Bolsonaro atende também aos ditames desta, o que está em total e plena sintonia com a postura adotada por seu governo e a atual e vergonhosa diplomacia brasileira, de total submissão aos interesses ianques.

Os movimentos golpistas que se articulam em quase toda a América Latina têm o claro propósito de instalar governos e regimes pró-imperialistas em todo o continente, na tentativa de abrir uma nova etapa de recolonização dos países, o que propiciará ataques ainda maiores às condições de vida dos povos das Américas.

Não é possível deter a escalada golpista e a ofensiva militar do imperialismo no continente com medidas puramente defensivas, parlamentares e institucionais. Há cerca de dois meses, manifestantes ocuparam a embaixada venezuelana na capital norte-americana, Washington, para impedir a entrada dos “embaixadores” representantes do golpismo, indicados pelo impostor golpista Guaidó, endossados por Trump.

O mesmo deve ser feito aqui no Brasil, em Brasília, onde os militantes de esquerda, do movimento popular, estudantil e sindical; os ativistas do Comitê Abreu e Lima, de Solidariedade e Defesa da Venezuela devem também ocupar a Embaixada Bolivariana, impedindo assim a entrada dos representantes golpistas, que não têm qualquer legitimidade, que não são representantes do povo venezuelano, mas única e tão somente capachos a serviço dos norte-americanos, financiadores e incentivadores de golpes de Estado contra a soberania e a auto-determinação dos povos latino-americanos.