Bolsonaro lidera pesquisa? Um espantalho para provocar pânico e dar votos a quem não tem

bolsonaro-1

A última pesquisa Ibope divulgada essa semana demonstra a manobra dos golpistas, na tentativa de impulsionar de qualquer maneira as candidaturas que mais se adequam aos seus interesses. O primeiro fator a ser destacado e a exclusão do nome do ex-presidente Lula das pesquisas. Lula, que teve sua candidatura cassada de maneira arbitraria pelo TSE no ultimo dia 30, não aparece no levantamento, sendo que ainda pode recorrer da decisão em outras esferas nacionais e internacionais. Ou seja, sua candidatura se mantém a revelia dos interesses golpistas.

No que diz respeito ao levantamento, no entanto, o nome de Bolsonaro aparece em primeiro lugar com 22% das intenções de voto. Um numero baixíssimo, abaixo, inclusive, do numero de votos brancos e nulos, o qual esta na casa dos 29%. Mesmo assim, o candidato da extrema-direita e apresentado como líder nas intenções de voto, seguido por Marina Silva da Rede e Ciro Gomes do PDT, empatados com 12%, atrás esta Geraldo Alckmin do PSDB, com 9%.

A estrategia Bolsonaro e clara, o candidato do PSL não passa de um espantalho dos golpistas, o mesmo e utilizado para provocar panico entre a população, transferindo votos para as opções mais favoráveis da direita, que nesse momento transitam entre Alckmin e Marina Silva.

Isso pode ser visto na propaganda contra Bolsonaro feita pela própria imprensa capitalista, pela Rede Globo, no debate com o candidato da extrema-direita e no ataque feito a suas posições fascistas. Os golpistas procuram com isso, apresentar os seus candidatos de preferencia como uma opção a Bolsonaro.

E preciso ter claro que esse ano as eleições se dão sob um golpe de estado, um golpe que rasgou 54 milhões de votos, os quais elegeram a presidenta Dilma em 2014, ou seja, as eleições de 2018 ocorrem em um contexto de exceção, de arbitrariedade e perseguição política contra a esquerda. A única forma de combater essa política da direita e por meio da mobilização popular, e preciso intensificar a campanha contra o golpe e em defesa da candidatura de Lula, única capaz de impor uma derrota a direita.