A serviço do Imperialismo
Enquanto mais de 28 mil pessoas já morreram por coronavírus no País, o presidente ilegítimo se ocupa da defesa dos interesses das empresas estrangeiras
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
1322077_389930
Bolsonaro bate continência para a bandeira dos EUA. | Foto: Reprodução

No último dia 24 de abril, o presidente ilegítimo Jair Bolsonaro sancionou a lei a lei 13.993/2020, que proíbe a exportação de produtos hospitalares.

A lei inclui produtos essenciais durante a pandemia do novo coronavírus, como ventiladores pulmonares, camas hospitalares, monitores e equipamentos de proteção individual (EPIs).

Poderia a medida estar justificada na possibilidade de indústrias nacionais priorizarem a exportação do que a produção para o mercado interno, para os hospitais e para o próprio poder público. No entanto, desde o início da pandemia, os governos golpistas nas 3 esferas de poder, sobretudo o federal, não lançaram mão de nenhuma medida para a produção massiva de equipamentos para a utilização no combate ao coronavírus, ou seja, para salvar as vidas da população.

O que ocorreu foi justamente o contrário. Os governos abandonaram toda uma estrutura pronta para a produção em massa de equipamentos, como a indústria e as universidades, por exemplo, e deram todos os recursos para os banqueiros.

Prova é que mesmo capitalistas denunciaram a atitude do governo.

“Há uma disparidade sobre a tributação do setor. Na contramão da proibição da exportação brasileira, foi imposta a isenção de impostos de importação desses mesmos itens, que inclui . Mas o setor nacional continua arcando com as taxas do ICMS, PIS e Cofins”, explicou Paulo Henrique Fraccaro, da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (Abimo).

Este é mais um dos muitos fatores que explicam o caráter de classe do governo Bolsonaro. Apesar de ter capitalistas de menor envergadura em sua base (como o caso do dono da Havan, do Madero, entre outros) o governo Bolsonaro é um governo do imperialismo mundial. Enquanto mais de 27 mil pessoas morrem por coronavírus no país e o povo sofre das mais elementares necessidades, o presidente ilegítimo se ocupa da defesa dos interesses das empresas estrangeiras.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas