Mais um ataque aos negros
O que o governo Bolsonaro pretende fazer com essa transferência é colocar no lugar todo o acervo museológico, documental e arquivístico da Fundação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
WhatsApp Image 2020-12-05 at 16.40.52
Sérgio de Camargo, presidente da Fundação Palmares, ao lado do presidente fascista Bolsonaro | Foto: Reprodução

O presidente bolsonarista da Fundação Palmares, Sérgio Nascimento de Camargo, pretende, em mais um ataque contra os negros e contra a cultura negra, transferir a sede da Fundação para um depósito.

Um grupo composto por seis deputados (Erika Kokay, Enio Verri, Benedita da Silva, Valmir Assunção, Vicentinho e Beto Faro) do Partido dos Trabalhadores (PT) recorreu à justiça para tentar evitar que o governo Bolsonaro transfira a sede da Fundação Palmares para um prédio que hoje serve de depósito para a Empresa Brasileira de Comunicação, a EBC. O depósito, segundo os deputados que recorreram à Justiça Federal de Brasília, está em estado precário de conservação. Eles pedem que Sérgio Nascimento de Camargo (presidente da Fundação Palmares) e Glen Lopes Valente (presidente da EBC) sejam responsabilizados por por isso.

O que o governo Bolsonaro pretende fazer com essa transferência é colocar no lugar todo o acervo museológico, documental e arquivístico da Fundação, entretanto, o prédio não está em condições de abrigar esses materiais, justamente pelo estado em que se encontra. Segundo os deputados as instalações se revelam inadequadas para garantir a guarda, a preservação, a recuperação e a disseminação das informações que se encontram no acervo da fundação.

Além do que dizem os deputados é preciso denunciar que a transferência dos materiais para um local que não tem condições de abrigá-los e que representa, ele mesmo, um risco à conservação deles não ocorre por um  mero acaso. Não se trata de um mero descuido, mas o que o governo quer mesmo é que tudo isso se perca. Desejam apagar a história dos negros brasileiros, pois, para eles, é melhor que não haja história nenhuma a ser contada.

O governo, para isso, se utiliza de um homem negro (Sérgio Camargo), na tentativa de fazer parecer uma política legítima de ataques dos golpistas contra o povo negro. É bem verdade de Camargo é um negro, mas um negro que lá está para desferir contra o povo preto e pobre os mais duros ataques.

Essa é mais uma demonstração de para onde pode nos levar o identitarismo. Os identitários não raramente defendem e ainda enaltecem determinadas personalidades políticas pelo simples fato de serem negras, ignorando suas posições de classe, suas posições políticas. É algo que só pode levar a esquerda a um desmoralizante desastre político, no qual ela acaba por apoiar políticos direitistas como o dirigente da Fundação Palmares. E um dos resultados desse política: a história do povo negro jogada em um depósito, para ser corroída pelas traças.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas