Bolsonaro é um presidente ilegítimo e não tem tanta popularidade quanto a imprensa golpista diz

bolsonaro

Ontem, uma pesquisa publicada pelo XP Ipespe apontou que o presidente ilegítimo Jair Bolsonaro teria uma aprovação de 40%. Segundo o levantamento, apenas 20% dos brasileiros classificariam o governo Bolsonaro como ruim ou péssimo, enquanto 29% qualificariam este como “regular”. O mesmo instituto ainda alegou que 62% dos entrevistados na pesquisa aprovam a montagem do governo e as primeiras medidas, contra apenas 29% de insatisfeitos.

Os resultados, que destoam absurdamente da realidade, mostram o compromisso dos institutos de pesquisa da burguesia com o governo golpista. Afinal, tais dados indicam que o governo Bolsonaro goza de alguma popularidade e que é aceito pela maioria da população – nada poderia ser mais falso.

O programa de governo de Bolsonaro é um programa de guerra contra a população – demissões, privatizações, arrochos e muita perseguição política. Por sua inerente impopularidade, Bolsonaro só conseguiu ser eleito através de uma fraude eleitoral gigantesca, ancorada no impedimento da candidatura do ex-presidente Lula.

Dada as próprias condições da vitória de Bolsonaro, é impossível associar tal governo com qualquer prestígio popular. Mais da metade da população estava disposta a votar em um candidato com programa oposto – mesmo sendo ele ferrenhamente perseguido pelo regime político -, isto é, em um candidato que representasse um confronto com os golpistas.

Além do fato de a fraude eleitoral desmascarar a falta de base social de Bolsonaro, há outro fator que impossibilita qualquer caracterização do governo Bolsonaro como popular. Em menos de três semanas no governo, Bolsonaro já atacou duramente a população – ou seja, demonstrou ser um governo anti-povo.

Bolsonaro retirou a assistência médica de milhões de brasileiros, iniciou uma perseguição aos funcionários públicos, acelerou o desmonte da Educação pública, transformou o aparato estatal em cabide de emprego para os militares e seus parentes etc. Qualquer pesquisa que aponte que a maioria da população apoie essa política é, portanto, mentirosa.

Outro aspecto que precisa ser discutido em relação a essa pesquisa-fraude é o fato de que toda a imprensa burguesa ecoou os resultados pró-Bolsonaro. Isso significa dizer que a imprensa burguesa, embora apresente algumas contradições com o governo Bolsonaro, está concentrada em apoiar o novo governo ilegítimo.

O governo Bolsonaro não possui uma base social e já se declarou inimigo do povo. Seu governo é uma fraude e está no lugar daquele que é o maior líder popular do país: Luiz Inácio Lula da Silva. Por isso, é necessário mobilizar os trabalhadores pela liberdade imediata do ex-presidente Lula e pela derrubada intransigente do governo ilegítimo de Jair Bolsonaro.