Cabide de emprego
Até mesmo o ministro fascista do STF, Alexandre de Moraes, teve que intervir na ação escandalosa do presidente ilegítimo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
ramagam (1)
(foto: Marcos Oliveira/Agência Senado) |

Da redação – O presidente fascista, Jair Bolsonaro (sem partido),  desistiu de nomear seu amigo, o delegado federal Alexandre Ramagem, para a direção-geral da Polícia Federal (PF). Publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU), na tarde desta quarta-feira (29), a decisão do presidente golpista foi tomada horas após o ministro Alexandre de Morais, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspender a nomeação de Ramagem à PF.

Moraes mencionou a investigação sobre suposta tentativa de interferência de Bolsonaro em investigações da PF, levantada pelo ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, justificando que a nomeação de Ramagem pode ser “incompatível com a ordem constitucional”.

“A finalidade da revisão judicial é impedir atos incompatíveis com a ordem constitucional, inclusive no tocante às nomeações para cargos públicos, que devem observância não somente ao princípio da legalidade, mas também aos princípios da impessoalidade, da moralidade e do interesse público”, alegou  Moraes.

O decreto de Bolsonaro, ainda vai mais além, proibindo a exoneração de Ramagem da direção-geral da ABIN, mantendo o “amiguinho” da família no ex-cargo.

O passado desta ligação entre os citados, não é longinqua, pois Ramagem se aproximou da família miliciana durante as eleições de 2018. Mostrando agora como é grande a demagogia de Bolsoanro, que atacou o PT por supostas indicações de familiares, o delegado já vinha de cargo pessoal, como chefe de segurança da campanha do então presidenciável, após o episódio da facada, em setembro daquele ano, se transformando em amigo do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), com quem passou o réveillon de 2019, e sendo indicado para a chefia da PF.

É a “nova” política com tudo de mais velho e podre do Estado Burguês decadênte. Tal como os militares que deram o Golpe Militar de 1964 fizeram, colocam amigos, aprentes, em cargos públicos, rasgando a Constiuição em meio ao golpe atual.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas