Bolsonaro ameaça os trabalhadores ao falar em “varrer” o comunismo

bozo (1)

Da redação – O presidente golpista, Jair Bolsonaro, em agenda em Parnaíba (PI), fez mais um discurso abertamente fascista ameaçando todos os trabalhadores e quebrou o protocolo ao passar na frente do pronunciamento do prefeito de Parnaíba, Mão Santa. Bolsonaro pegou o microfone e disse: “alguns governadores querem separar o país. Eles estão no caminho errado. O caminho é um só país”. E acrescentou também: “acabou a roubalheira no Nordeste”.

O inimigo do povo, além de atacar os governadores do nordeste, afirmou que seu governo não irá aprovar ideologia de gênero nas escolas e ameaçou acabar com os ”co-co”, que seria “uma raça de corrupto e comunista”.

Aqui está mais do que claro os planos dos militares fascistas e de Bolsonaro: ”juntos vamos varrer a corrupção e o comunismo do Brasil”. Como admitiu Dias Toffoli em entrevista à Veja, estão articulando um avanço do golpe contra toda a esquerda, uma perseguição física já vista antes na história e os trabalhadores precisam reagir.

Bolsonaro, que foi ao nordeste inaugurar uma escola com seu nome, voltou a criticar a chamada ideologia de gênero nas escolas. “Cada vez menos nossas escolas vão ouvir aquela coisa do capeta chamada ideologia de gênero”. Assim, se pegarmos o fato de que os militares estão transformando as escolas em quartéis, em paralelo com o roubo do dinheiro das escolas públicas – para destruí-las sem água, sem luz, sem dinheiro para salários -, fica evidente o plano abertamente fascista aos moldes do nazismo alemão.

Está mais do que colocada a necessidade de lutar contra o governo, para colocá-lo abaixo. E somente o movimento das massas nas ruas, organizado pela esquerda, poderá concretizar essa necessidade.