Privatização das estatais
O BNDES vem sistematicamente procurando investidores com o objetivo de acelerar a privatização do banco com a venda das suas subsidiárias
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
atividade na cef da avenida paulista _abertura da agencia sabado dia 18 de fevereiro
para consulta e saque do FGTS inativo
18_02_2017
foto_mauricio morais
Caixa 100% pública | Foto: Reprodução

O governo ilegítimo Bolsonaro retomou a política de privatizações com a venda de ativos do BndesPAR, braço financeiro do banco em marcado de capitais. Além das diversas empresas estatais estarem na mira dos golpistas para a sua entrega a preço de banana para os capitalistas imperialistas, tais como a Petrobras, Eletrobrás, Correios, etc., uma das empresas que vem sendo atacada violentamente é a Caixa Econômica Federal.

O BNDES vem sistematicamente procurando investidores com o objetivo de acelerar a privatização do banco com a venda das suas subsidiárias. É o que vem acontecendo com a Caixa Seguridade. Já no começo do ano a direção da Caixa havia divulgado, através de Fato Relevante, comunicado informando a aprovação da contratação  de sindicato de bancos para avaliar potencial oferta pública de ações da Caixa Seguridade. Agora com a retomada do projeto do governo de venda de ativos das empresas estatais pelo BndesPar pelos chamado IPO (Oferta Pública Inicial de ações) estão, mais uma vez, pavimentando o caminho da privatização do único banco brasileiro 100% público.

A Caixa seguridade é uma companhia controlada pela Caixa Econômica Federal na área de seguridade com uma ampla variedade de apólices de vida e não vida, seguro habitacional, automóveis, planos de previdência privada, títulos de capitalização e consócios; obteve, somente em 2019, um lucro líquido de mais de R$ 1,5 bilhão e, parte desses recursos são utilizados em políticas sociais, tais como construção de casas populares, financiamento em educação para a população de baixa renda, etc. A transação financeira envolvendo a subsidiária da Caixa é mais uma revelação do que está por trás do golpe de Estado no país, com o envolvimento direto dos grandes banqueiros, capitalistas e o imperialismo. O servilismo do governo ilegítimo Bolsonaro aos banqueiros e, em particular o norte-americano é total.

Por isso, é preciso denunciar a política completamente entreguista dos golpistas e a necessidade da mobilização para a sua derrubada, como único caminho para a defesa dos interesses de classe dos trabalhadores e da soberania nacional. As organizações de luta dos trabalhadores bancários devem organizar, imediatamente, uma gigantesca mobilização, conjuntamente com as demais organizações dos trabalhadores das demais estatais, para barrar a ofensiva reacionária da direita que visa entregar o patrimônio do povo brasileiro para meia dúzia de capitalistas parasitas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas