Privatização em massa
Presidente do ICMBio se reúne com latifúndios e políticos bolsonaristas para privatizar parque de preservação ambiental e despejar povos tracionais da região no Pará.
Resex-Verde-Para-Sempre-1440x720
Sobrevoo realizado em áreas de desmatamento na região de Gurupá-Melgaço, em novembro de 2013. Foto: |

O presidente do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), Hemero de Giorge Ciqueira*, confirmou presença em um evento ilegal organizado por latifúndios dentro de uma reserva extrativista no Pará. O órgão é ligado ao Ministério do Meio Ambiente seria responsável supostamente para garantir a preservação de áreas demarcadas no País.

Além da ilustre presença do dep. Federal e do Senador do Pará, sendo eles Júnior Ferrari (PSD/PA) Zequinha Marinho (PSC/PA) respectivamente.

O evento já é o terceiro na região, organizado e financiado pelo latifúndio para discutir e brindar a destruição de áreas preservadas da floresta amazônica para criação de gado e o assassinato e despejo criminoso das populações locais.

O MPF que antes já havia mostrado sua função na prisão do companheiro Lula, está agora fazendo a famigerada briga de compadres em intimar o presidente do órgão ambiental a “prestar esclarecimento” sobre sua presença confirmada no evento dos jagunços. Que vindo desse órgão fascista deve ser tal como um carinho na cabeça do bolsonarismo.

É preciso denunciar energicamente esse ato arbitrário que bota as claras a dominação do fascismo caminhando em passos largos dentro do Estado, para destruir o patrimônio nacional, tanto ambiental como cultural. Essa reunião dos donos de terra é a abertura da exploração para que se acabe com a unidade de conservação, assim como já se discutem em outros parques nacionais!

Os movimentos de defesa da reforma agrária, dos indígenas e o ativismo em defesa do meio ambiente deve sair às ruas unidos sobre a palavra de ordem de pôr fim o governo Bolsonaro:

Fora Bolsonaro e todos os golpistas!

 

Relacionadas