Inimigo da Cultura
Nova presidente da fundação, afilhada de Marco Feliciano, exonerou nomes importantes da pesquisa brasileira.
letícia
Letícia Dornelles, presidente da Casa de Rui Barbosa. Foto: Divulgação |

Nesta quarta-feira (8), foram exonerados cinco funcionários-chave da Casa de Rui Barbosa, instituição de pesquisa, acervo e fomento cultural. A exoneração se dá como o primeiro ato de Letícia Dornelles, presidente da fundação. A nova chefe é afilhada política do pastor Marco Feliciano.

Segundo coluna do jornalista Lauro Jardim, foram demitidos o cientista político Charles Gomes, a jornalista Jöelle Rouchou, a ensaísta Flora Sussekind, vencedora de um Prêmio Jabuti e o sociólogo e escritor José Almino de Alencar, também ganhador do Prêmio. Além destes, o diretor do departamento, Antonio Lopes, também foi exonerado pela bolsonarista.

Estes ataques fazem parte da política do governo de Jair Bolsonaro de desmonte à cultura. Apesar das acusações à esquerda de “aparelhamento”, vê-se que, na realidade, o aparelhamento se dá pela direita, que envia seus funcionários para destruir os serviços públicos, a cultura etc. 

Diante deste cenário, a única alternativa à destruição da cultura e da pesquisa promovida pelo governo é a luta pela derrubada do governo, sob a palavra de ordem de “Fora Bolsonaro”. Os partidos de esquerda e todas as organizações democráticas devem se unir em torno desta demanda para impedir o desmonte do País.

Relacionadas