Diante da ofensiva da direita
Movimento ao Socialismo (MAS) capitula diante da ditadura da extrema-direita boliviana e aprova nova data das eleições para dia 18 de outubro.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
15973277745f35499e00a40_1597327774_3x2_rt
Manifestantes rechaçam manobra dos golpistas e bloqueiam estradas entre La Paz e El Alto, na Bolívia | Créditos: Luis Gandarillas/AFP

Enquanto os movimentos sociais e a Central Obreira Boliviana (COB) tomam as ruas e bloqueiam estradas contra mais uma manobra do governo golpista de Áñez, o Movimento ao Socialismo (MAS) capitula diante da ditadura da extrema-direita boliviana e aprova nova data das eleições para dia 18 de outubro. A data acertada com os golpistas, em todo caso, difere da exigida pelos movimentos sociais e a Central Obreira Boliviana (COB), que exigiram do Parlamento uma lei que a fixaria para o dia 11 de outubro.

18 de outubro é o prazo máximo que o Tribunal Eleitoral (TSE) tem para realizar as eleições gerais, prazo esse que tem caráter urgente, imutável e definitivo”, disse Mlton Barón, Senador pelo MAS.

Vale destacar que o governo golpista vem a adiar as eleições para evitar uma derrota. De início, as eleições gerais estavam marcadas para 3 de maio, mas – utilizando a pandemia como desculpa – os golpistas adiaram-na por três vezes: para a primeira semana de agosto, para 6 de setembro e, por último, para 18 de outubro – contando com o apoio do MAS.

Esse imbróglio se intensifica com as manifestações populares que tomaram as ruas há mais de uma semana – rejeitando o adiamento das eleições; isso porque – diante da manobra dos golpistas – a COB e os movimentos sociais ameaçaram se insurgir contra o adiamento das eleições. Por isso, desde a terça-feira da semana passada, fizeram uma greve geral e ainda hoje continuam com bloqueios de estradas e manifestações em todo o país.

No entanto, ao mesmo tempo, o MAS – que tem o controle majoritário da COB e dos movimentos sociais – capitulou diante da manobra dos golpistas e aprovou que as eleições ocorram em 18 de outubro. E pior: o MAS controla tanto o Senado como a Câmara, o que indica uma força institucional que o partido ainda tem, e não está sequer usando essa força para lutar contra as fraudes golpistas. Isso mostra que a luta institucional é uma cilada, tanto porque mesmo controlando as duas câmaras do parlamento, o MAS não consegue lutar efetivamente contra a direita, demonstrando que os parlamentares, assim como no Brasil, estão se mostrando capituladores, direitistas e até mesmo carreiristas, preferindo garantir seus cargos a rachar e derrubar o regime.

A luta tem que ser nas ruas e a COB precisa superar a política vacilante da direção do MAS para realmente impedir a fraude eleitoral e derrubar pela força popular a ditadura golpista.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas