Bolha tecnológica prestes a estourar, avisa especialista

bloodmoney

Segundo Keith Wright, professor da Vilanova School of Business, a especulação excessiva nas ações de empresas baseadas na internet é pior do que a que ocorria no auge da bolha “ponto com” nos anos 2000. Segundo sua opinião dada à rede de televisão estadunidense especializada em mercado financeiro, CNBC, as ações dessas empresas encontram-se supervalorizadas, em alguns casos em até 50%.

Ele acredita que perdas colossais estão a caminho pois a bolha das chamadas tech unicorns já atingiu seu máximo. E daqui para a frente é “ladeira abaixo”. “Unicórnios” é o termo criado em 2013 e usado para as start ups (empresas que estão começando a se estabelecer) que possuem valor superior a US$ 1 bilhão. Tal valor é superior à receita da maior parte dessas empresas e analistas do mercado preveem que a maioria estará falida dentro de dois anos. Entre essas empresas unicórnio está a nossa bem conhecida Uber que apesar da receita crescente (US$ 6,5 bilhões em 2016) continua a apresentar prejuízo (US$ 2,8 bilhões).

Os reflexos políticos tanto externos quanto internos no mundo inteiro do terremoto que sacode o sistema capitalista tem seu epicentro no sistema financeiro. Este desde os seus primórdios é predador e corrupto tanto moral como criminalmente. O advento do que se costuma chamar de neoliberalismo, que nada mais é na verdade que licença para a pilhagem sem freios, a predação e a corrupção em todos os sentidos atingiram nível assombroso e alarmante pelo seu tamanho, suas consequências atuais e futuras e pelo seu desconhecimento praticamente total pela população do mundo da criminalidade gigantesca que é a matéria-prima do universo financeiro. Ao consumar-se o colapso desse sitema psicopático e criminoso a classe trabalhador será chamada a pagar a conta, maior ainda que a que já se encontra pagando. Informar-se quanto à destruição causada pelo apoderamento da riqueza mundial e particularmente da nacional pelo capital financeiro dever ser prioridade dos líderes dos trabalhadores para que possam conscientizar seus liderados quanto às origens dos sucessivos ataques sofridos ao longo do tempo e que no momento atual estão tão extremamente agudizados.