Bloqueio judicial da Dolly força demissão de 700 funcionários
Polícia prende dono da marca de refrigerantes Dolly
Bloqueio judicial da Dolly força demissão de 700 funcionários
Polícia prende dono da marca de refrigerantes Dolly

Da redação – O dono da empresa fabricante dos refrigerantes Dolly, Laerte Codonho, preso em maio por ação conjunta do Ministério Público do Estado de São Paulo, procuradoria e polícia, acusado de sonegar R$ 4 bilhões em impostos, fechou sua fábrica de Tatuí (SP) e demitiu todos os 700 empregados após ter seus bens bloqueados pela justiça. Segundo o empresário, o bloqueio das contas inviabilizou o negócio.

O que chama a atenção é o valor supostamente devido: R$ 4 bi. O empresário alega ser impossível uma dívida desse montante em função do faturamento da empresa.

Codonho ficou conhecido no mês passado, quando, ao ser preso pela polícia, acusado de sonegação e lavagem de dinheiro, chegou à delegacia segurando um cartaz com a denúncia: “preso pela Coca-Cola”.