Ação criminosa dos EUA
No último ano, Cuba perdeu US$ 160 milhões por causa das sanções estadunidenses no âmbito da saúde, tendo que comprar em lugares remotos, com fretes mais onerosos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
14453006925_125c2e3be7_k
Bloqueio dos EUA pode custar a vida de milhares de cubanos. Foto: HCSVP - Jundiaí |

Por Ronald Suárez Rivas, no Granma

Enquanto a colaboração médica cubana se estende pelo mundo todo, com o fim de ajudar a combater a Covid-19, o bloqueio demente que os EUA impõem ao nosso país acaba de cortar o acesso da Ilha a dois dos seus fornecedores habituais de respiradores artificiais, um equipamento chave no atendimento dos casos mais graves desta doença.

Em outro aperto do nó desta política genocida e desumana, os fabricantes IMT Medical AG e Acutronic, anunciaram o fim dos vínculos com Cuba, depois que fossem adquiridos pela empresa estadunidense Vyaire Medical Inc..

«Infelizmente, a diretriz corporativa que temos hoje em dia é suspender todo relacionamento comercial com a MediCuba», arguiram ambas as entidades, segundo deu a conhecer o diretor-geral para a América Latina e o Caribe, do ministério das Relações Exteriores (Minrex), Eugenio Martínez Enríquez, em sua conta no Twitter.

O diplomata cubano denunciou, também, que a nação caribenha não pode comprar medicamentos a empresas dos Estados Unidos porque o bloqueio o impede, segundo confirmou, recentemente, o vice-presidente da MediCuba, Lázaro Silva, entidade responsável por importar remédios, equipamentos e insumos médicos.

A nova medida, impulsionada pela administração de Donald Trump, produz-se poucas horas depois que o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, fizesse um apelo para «pôr a política em quarentena», porque «temos milhares de vidas em jogo», aludindo ao perigo que representa o novo coronavírus.

Contudo, para a Casa Branca, é apenas mais uma prova do seu desprezo pela vida e seu ódio doentio ao povo cubano.

Há poucos dias, por exemplo, o Governo da Ilha denunciou que uma doação de insumos médicos para combater a Covid-19, vinda da fundação chinesa Alibaba, não tinha conseguido chegar ao país, porque a empresa estadunidense contratada para transportá-la, recusou-se no último momento, sob o pretexto de que o impediam as regulamentações do bloqueio.

No último ano, Cuba perdeu US$ 160 milhões por causa das sanções estadunidenses no âmbito da saúde, tendo que comprar em lugares remotos, com fretes mais onerosos.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas