Blackwater recruta mercenários para atacar a Venezuela

black
Prince Pig é um dos mais relevantes defensores dentre a escória que defende o presidente Donald Trump. Este verdadeiro lacaio tem pressionado ferrenhamente a Casa Branca nos últimos meses para colocar em prática um plano de mobilização de um exército privado para ajudar a derrubar o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, eleito democraticamente pela segunda vez.
Segundo informações da Reuters (agência multinacional de notícias), Erik Prince buscou investimentos e apoio político para tal operação (golpista) de influentes partidários de Trump. Em reuniões reservadas no Estados Unidos e na Europa, Prince esboçou um plano para colocar em campo até 5 mil soldados mercenários, contratados em nome do líder da oposição venezuelana e capacho do Imperialismo, Juan Guaidó, ou GuaiDog, como diz o povo venezuelano, quando se refere ao cachorrinho de Trump.
O porta-voz de Guaidó, Edward Rodríguez, negou à Reuters qualquer articulação nesse sentido, e o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Garret Marquis, evitou comentar sobre o tema, obviamente, já que se trata de apenas mais uma manobra a favor do golpe contra a democracia venezuelana.
A empresa de segurança privada Blackwater ficou famosa em 2007, por matar 17 civis em Bagdá, capital do Iraque, tendo quatro de seus mercenários sido acusados de homicídio em dezembro do ano passado. Prince acabou mudando o nome da empresa para vende-la em 2010, mas recentemente  criou outra empresa chamada Blackwater USA, que vende munições, silenciadores e facas. Influente junto a administração americana, sua irmã Betsy De Vos é a secretária de educação de Trump e por intermédio dela Prince tem procurado convencer o presidente a substituir os soldados americanos destacados no Afeganistão por mercenários.
O plano de Erik Prince, é precisamente criar um exército de 4000 a 5000 soldados que operem a partir da Colômbia. Primeiro em operações de espionagem e recolhimento de informações para derrotar Maduro e o povo Venezuelano, que em termos militares conta com 350 mil militares na ativa e mais dois milhões na reserva para defender a democracia Venezuelana.
Filho de um empresário que enriqueceu na venda de peças para automóveis, Erik tem sido uma das vozes mais ativas a favor da privatização da guerra, com seus mercenários presentes em zonas de conflito que vão desde o Oriente Médio até a África, passando pela Ásia Central.
Nascido em Michigan em 1969, o antigo marinheiro Prince deixou as forças armadas em 1995, quando o pai morreu, para assumir a empresa da família. Dois anos mais tarde fundou a então fábrica de trogloditas: Blackwater.
Esse maníaco bélico apesar de atualmente pouco sustentado politicamente é potencialmente perigoso e quer trazer sua manada de javalis financiados pelo capital financeiro para promover mais um Golpe de Estado Imperialista, desta vez contra nossos irmãos venezuelanos.
Por isso é importante que a esquerda se una numa política única contra essa pocilga imperialista de conjunto, que é o inimigo em comum de todos os países que são alvo dessa mesma exploração financiada por essa cambada de carniceiros selvagens do qual chamamos de banqueiros ou capital financeiro, que querem nos transformar em seu curral particular.