Captura de Tela 2019-07-11 às 18.32.15
|

Conforme destacado sistematicamente por toda a imprensa do Partido da Causa Operária, a história internacional e também brasileira já demonstrou incontáveis vezes a grande farsa que é a luta contra a corrupção. É uma campanha que vem da direita, que a usa para atacar os seus inimigos políticos.

O Partido da Imprensa Golpista, o PIG, como apelidou o falecido jornalista Paulo Henrique Amorim, criou toda uma campanha contra a corrupção, que remonta aos idos de 2012, no julgamento do mensalão. Esta campanha, que visava principalmente o PT mas também secundariamente outros setores como o MDB, em seguida centrou fogo em torno da Petrobrás e das empreiteiras brasileiras. Bradavam diariamente, de forma muito agressiva, que o tal “Petrolão” seria o maior caso de corrupção da história da humanidade.

Embora fosse uma campanha claramente criada pelo PIG, vimos setores da esquerda que entraram de cabeça nessa onda espúria. É o caso por exemplo do PSTU e do MES, corrente do PSOL onde atua Luciana Genro. Não custa lembrar que estamos falando de setores que até pouco tempo atrás, eram defensores da Lava Jato, de Moro e Dallagnol, que encontram-se muito abalados hoje pelas denúncias de Greenwald, do Intercept.

Pois bem, mais uma vez pudemos constatar o resultado desta campanha de luta contra a corrupção. Só para aprovar a reforma da previdência, o governo Bolsonaro empenhou 5 bilhões em ementas e outras manobras, em um tipo de propina legalizada, “limpinha”. No entanto, devemos levar em consideração que estes 5 bilhões de reais em propinas serviram apenas para aprovar a reforma.

Na realidade, o verdadeiro roubo é ainda maior e chega a trilhões de reais, que serão roubados da aposentadoria de dezenas de milhões de trabalhadores brasileiros. É justamente isso que a suposta luta contra a corrupção nos trouxe. Um governo ilegítimo de rapina e um assalto de todo o povo brasileiro.

Relacionadas