Líder do neoliberalismo
A política de “livre comércio”, defendida por Biden em sua carreira, é a responsável pelo desemprego e miséria do povo norte-americano
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Candidato democrata à Presidência dos EUA, Joe Biden
05/11/2020
REUTERS/Kevin Lamarque
Joe Biden é hoje o mais importante general do neoliberalismo | Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Os mercados reagiram positivamente à vitória, até então, de Joe Biden na corrida presidencial dos Estados Unidos. Mesmo antes do resultado oficial, como na semana anterior, as bolsas americanas tiveram o melhor desempenho desde o início do ano, a Dow Jones valorizando 6,9%, o S&P 500, 7,3% e o Nasdaq subindo mais ainda, 9%. O candidato democrata firmou-se como o principal representante da política imperialista norte-americana, o chamado neoliberalismo.

Não é por acaso que o candidato pintado como centrista, para alguns, utilizando demasiadamente a tinta, como de esquerda, seja justamente o candidato do neoliberalismo. Está política de choque contra a população, gerou não somente nos países atrasados, como no próprio país de Biden, consequências drásticas contra a classe operária e os direitos sociais. O repúdio a essa política da parte da classe operária norte-americana fez com que o neoliberalismo apresenta-se, ainda que muito mal disfarçado, uma ala esquerda da burguesia e o atual presidente a ala direita ou extrema-direita, assim montaram a farsa: esquerda moderada contra extrema-direita fascista, civilização contra barbárie.

Acontece que um dos principais flagelos da classe operária norte-americana é o desemprego, que resulta diretamente da política neoliberal, que Biden foi ao longo de sua carreira um dos principais representantes e que hoje é o representante mor. Esse foi um dos pontos centrais para a vitória de Donald Trump em 2016, cujo, mote de campanha era: emprego, emprego emprego. A vitória de Trump naquela ocasião foi muito mais uma rejeição ao neoliberalismo dos democratas do que uma adesão a ideologia fascismo de Trump.

Joe Biden é por exemplo um dos responsáveis pela decadência do Cinturão da ferrugem, área que corresponde aos  estados de Michigan, Minnesota, Ohio, Iowa, Pensilvânia e Wisconsin, que foi muito industrializada, mas sofre com a decadência econômica, fruto da política neoliberal, com desemprego, redução da população e decadência urbana.

Como senador  foi um apoiador do Tratado Norte-Americano de Livre-Comércio (Nafta), além de outros acordos de livre comércio. Um dos resultados deste acordo, que abrangia EUA, México e Canadá, além de ser totalmente predatório à economia do México, levou parte do investimento na indústria norte-americana para os estados fronteiriços no México, devido a condições de exploração mais favoráveis ao capital imperialista, causando decadência industrial em algumas áreas e aumento do desemprego nos Estados Unidos; por sua vez, o investimento público no México foi reduzido, a desigualdade social e entre os estados cresceu.

O intercâmbio de produtos, não foi acompanhado pelo intercâmbio de pessoas, os produtos negociados nos acordos estavam livres para ir e vir, mas os mexicanos foram barrados cada vez mais. O desequilíbrio econômico e social do México acentuado pelo acordo levou naturalmente um processo migratório intenso, o que foi e é tratado duramente pelos EUA.

A política neoliberal, da globalização, cujo, representante maior hoje é Joe Biden, não é propriamente uma política, mas a expressão da decadência do capitalismo e do imperialismo. O neoliberalismo é responsável pela destruição incalculável de forças produtivas no mundo inteiro, tudo para abrir caminho à dominação de um número cada vez mais restrito de empresas imperialistas, na sua luta implacável contra os direitos sociais, sindicais e democráticos, contra o investimento público, o desenvolvimento dos países atrasados. Essa politica foi que levou a milhares de golpes de estado ao longo dos anos, vitimando um número incalculável de pessoas.

No principal país imperialista do mundo, o neoliberalismo também fez e faz suas vitimas, os milhões de desempregados, os negros e os pobres e miseráveis que crescem extraordinariamente naquele País e que não têm um  mínimo de auxilio estatal.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas