Extrema-direita
Biden foi fundamental, coordenando as ações de articulação e financiamento com a chamada “sociedade civil” ucraniana, tudo movimentos supremacistas fascistas e neonazistas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
biden
Joe Biden | Foto: Reprodução

O que acho mais irônico nesse incidente do Capitólio é que, de certa forma, repete o de Maidan, em 2014, em que Biden foi um dos autores intelectuais e conspiradores contra o então Presidente Víctor Yanukovitch, pro-Rússia.

Hordas de fascistas, nacionalistas, banderistas se aglomeraram no centro de Kiev e invadiram pela força o parlamento e prédios do governo. Franco atiradores desses grupos atiraram sobre pessoas para colocar a culpa no governo.

O movimento era financiado através da embaixada dos EUA, que distribuía recursos de thinktanks de Washington como o Endowment for Democracy e outros para os fascistas e banderistas.

O objetivo era tirar a fórceps a Ucrânia da esfera de influência da Rússia e atrela-la como um jogador de terceira à UE, com um acordo de associação de migalhas.

O papel de Biden foi fundamental, coordenando as ações de articulação e financiamento com a chamada “sociedade civil” ucraniana, tudo movimentos supremacistas fascistas e neonazistas.

A funcionária da embaixada (adida política) encarregada do trabalho na ponta tinha dupla nacionalidade e, depois de derrubado Yanukovitch, passou a ser ministra da economia do governo de Poroshenko.

O movimento de Maidan foi tão bruto quanto o da invasão do Capitólio, senão mais. Morreram dezenas de pessoas.

E agora Biden experimenta seu próprio veneno, servido pelas mesmas forças fascistas que alimentou na Ucrânia.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas