Bernie Sanders e outros 28 congressistas americanos criticam perseguição a Lula

bernie_sanders_debate_alone_ap_img

Parlamentares do Partido Democrata dizem que a condenação do ex-presidente Lula é baseada em “acusações não comprovadas” e cobram explicações sobre a morte da vereadora Marielle Franco.

29 congressistas norte-americanos, incluindo o senador Bernie Sanders, que foi pré-candidato do partido Democrata nas eleições presidenciais de 2016, assinaram uma carta enviada ao governo brasileiro nesta quinta feira (26) na qual denunciam a intensificação do ataque à democracia e aos direitos humanos no Brasil.

Na carta está sendo questionada a condenação e prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva baseada em acusações não comprovadas, bem como o assassinato da vereadora Marielle e do motorista Andreson Gomes, ocorridos em março no Rio de Janeiro. Os congressistas cobram uma investigação internacional independente sobre o caso, pois existem evidencias de que membros das forças de segurança do Estado podem estar implicados no crime do Rio de Janeiro.

Em relação a Lula, os parlamentares afirmam que “a luta contra a corrupção não deve ser usada para justificar a perseguição de opositores políticos ou negar-lhes o direito de participar livremente das próximas eleições” uma vez que Lula é o principal candidato presidencial nas pesquisas eleitorais.

Ainda afirmam os políticos norte americanos que o governo Temer é classificado como “extrema direita”, e  criticam os corte de gastos sociais e a dita reforma trabalhista que revogou direitos conquistados.