BB: prosseguem os ataques através dos descomissionamentos

banco-do-brasil-1900x1265_c

A direita golpista à frente da direção do Banco do Brasil vem aprofundando a política de ataques aos trabalhadores bancários através da reestruturação em que passa a empresa. A tal reestruturação, que já ocasionou milhares de demissões, fechamento de centenas de agências, vem ao longo do último período retirando as comissões de centenas de gerentes com a esfarrapada justificativa, tais como, às fusões de agências, extinção da comissão e mudança para os escritórios digitais do banco, etc.

A reestruturação que passa o BB nada mais é do que a retomada da mesma política neoliberal da famigerada era FHC (PSDB, hoje no processo farsa das eleições, travestido de PSL bolsonarista) da entrega do patrimônio do povo brasileiro para os capitalistas nacionais e internacionais. A reestruturação é parte dessa política em curso de privatização do Banco do Brasil. É a mesma política que vigora hoje em relação à Caixa Econômica Federal, dos bancos estaduais, dos Correios, Petrobras, Eletrobrás e as demais estatais.

Em Brasília mais casos de descomissionamentos pipocam em todos os lugares praticamente todos os dias, fruto dos ataques da direita golpista. A ideia por trás dos descomissionamentos tem um claro objetivo de reduzir o custo na folha de pagamento para aumentar o nível de “competitividade” do banco, conforme declaração do próprio presidente do banco.

É necessário organizar uma grande mobilização para barrar todas as medidas da direita golpista a frente dos bancos públicos, a única forma de combatê-las e derrotá-las é a luta contra o golpe e pela a anulação de todas as suas medidas.