BB: persiste o clima de terror na agência da Praça do Relógio

bb

Conforme denunciado por este Diário, a agências do Banco do Brasil Praça do Relógio, localizada na cidade satélite de Taguatinga, da Capital Federal, conta com um gerente que é um verdadeiro carrasco e lambe botas da direção do banco, que vem espalhando terror entre os funcionários, terceirizados e estagiários.

A denúncia, mesmo gerando a revolta do chefete capitão do mato, em nada mudou o seu comportamento em relação aos trabalhadores. Ao contrário, as denúncias aumentaram. É a política de assédio moral que reina naquela agência. Perseguições e ameaças para aqueles que não atingirem metas de vendas, constrangimentos para aqueles que venha a se atrasar a hora de entrada ou mesmo em relação aos míseros 15 minutos para o almoço. A falta de pessoal e consequentemente ao aumento da carga de trabalho é extremamente desgastante para o trabalhador, mas, para o capitão do mato, aqueles que não se ajustarem ao que ele ordenar o que resta é o tronco.

É unânime entre os trabalhadores o comportamento antipático e que vive reclamando de tudo e de todos sem saber fazer qualquer tipo de trabalho relacionado ao banco.

Mais uma prova disso foi a demissão de uma funcionária terceirizada da limpeza, que executou serviços para o banco durante 25 anos com a justificativa idiota de que a mesma “era muito velha”. Agora, o serviço de limpeza é feito esporadicamente e, na maior parte da semana, as dependências da agência, tais como banheiros, copa, etc., mais parecem um chiqueiro.

É necessário que os trabalhadores organizem, imediatamente, uma manifestação com paralisação, com o objetivo de destituir esse carrasco, que hoje se encontra na gerência naquela agência.