Base da Funai é atacada a tiros no Amazonas

Kanamari-2

Uma base da Fundação Nacional do Índio, a FUNAI, foi atacada a tiros na madrugada do último dia 19 de julho por caçadores no Vala do Javari, um território indígena e um santuário ecológico localizado na Amazônia. Desde o ano passado, já é o quarto ataque à sede da FUNAI na região.

A base fica localizada nas proximidades do rio Ituí. Ela é ocupada por funcionários da entidade, além de indígenas de diversas comunidades da região.

A região do Vale do Javari, com seus 8,5 milhões de hectares de terras, é a maior região do planeta com grupos de índios isolados.

Em junho, uma aldeia de índios Kanamaris também foi alvo de provocação por parte de garimpeiros da região.

É preciso analisar esses ataques com parte da política imposta pela direita golpista no país. A violência contra os povos indígenas é estimulada pela direita e pela extrema-direita golpista, pelo governo fascista de Jair Bolsonaro,  que age abertamente na defesa do assassinato dos índios, no extermínio de todos os povos.

Tanto os garimpeiros, quanto os caçadores, são bucha de canhão a serviço dos interesses de setores muito mais poderosos, como os latifundiários e os monopólios empresarias interessados na dominação dos recursos naturais do país.

É urgente a organização dos comitês de autodefesa em todas as comunidades indígenas do território brasileiro. Isto se faz necessário para que seja dada uma resposta à altura de qualquer tentativa de intimidação, provocação ou violência por parte da direita.

Do ponto de vista da política mais geral, é necessário mobilizar os povos indígenas em conjunto com os demais setores oprimidos e explorados da sociedade, os trabalhadores da cidade e do campo, pela derrota do governo golpista. Fora Bolsonaro e todos os golpistas!