Barroso decreta Lula nome proibido e ameaça suspender propaganda

barroso

Da redação – O ministro golpista do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Roberto Barroso, ameaçou mais uma vez o Partido dos Trabalhadores neste domingo, 9, alegando que o partido está descumprindo a decisão ditatorial de proibir Lula de aparecer como candidato nas propagandas eleitorais. Segundo o capacho do imperialismo na Corte, expressões como “estamos com Lula”, “vamos com Lula”, usadas pela coligação após outra proibição, de falar “Eu sou Lula”, levam a entender que o ex-presidente está na disputa. Barroso determinou ainda, que, se houver um novo descumprimento, a propaganda eleitoral da coligação será suspensa.

A decisão é mais um alinhamento do golpista, sendo tomada após um pedido do Ministério Público Eleitoral, alegando que a coligação do PT estaria descumprindo a determinação do TSE,  que no último dia 1º, negou o registro de candidatura a Lula e proibiu o petista de aparecer como candidato na propaganda eleitoral.

A ditadura do judiciário estabeleceu o AI-5 quando proibiu o petista de participar das eleições, passando por cima de tratados internacionais, da Constituição e agora ameaça as organizações operárias com multas milionárias para esconder Lula de vez. A pressão da burguesia vai no sentido de levar o PT ao plano B, forçando a escolha de outro candidato e, assim, abandonando o candidato com maior intenção de votos na cadeia.

Isso deve ficar claro para todos os trabalhadores: a defesa de Lula é a luta contra o golpe, e, essa nova ameaça, vem para mostrar porque lutar até às últimas consequências contra essa ditadura imposta pela burguesia.