Ataque aos bancários
Em mesa de negociação realizada nesta quinta-feira (27), a direção do Banco do Brasil insistiu na proposta de redução da Participação dos Lucros e Resultados dos bancários.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
caixa-e-bb
Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal estão na mira da privatização. | Reprodução.

Em mesa de negociação realizada nesta quinta-feira (27), a direção do Banco do Brasil, nomeada pelo presidente fascista Jair Bolsonaro, insistiu na proposta de redução da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) dos bancários. A mesa debate a pauta específica de reivindicações para a renovação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) dos funcionários do BB, no âmbito da Campanha Nacional dos Bancários 2020.

A proposta apresentada pela direção do BB reduz a a distribuição do lucro líquido do banco de  4% para 2%. Ainda nesta quinta-feira, foi reafirmada a proposta de acabar com os três ciclos avaliatórios da Gestão de Desempenho Profissional (GDP), no sentido de constituir apenas um ciclo avaliatório negativo para que aconteça o descomissionamento.

Na questão do abono,  foi feita a proposta de que os cinco abonos a que os funcionários do BB têm direito há anos não sejam acumuláveis e não sejam transformados em pecúnia. Os abonos teriam que ser utilizados no período de um ano  e os trabalhadores teriam que utilizá-lo obrigatoriamente como folga. Outras propostas foram colocadas na mesa que representam ataques aos direitos da categoria dos bancários, como a mudança no registro do intervalo da jornada de seis horas e a situação dos incorporados.

A proposta de mudança nos valores da PLR, que visa gradualmente sua extinção, significa que a direção golpista do Banco do Brasil quer impedir que os trabalhadores possam receber valores adicionais O objetivo é retirar dinheiro dos bancários para repassar para os grandes capitalistas internacionais que são acionistas do banco. Cada centavo repassado aos trabalhadores na forma da PLR significa um centavo a menos para os acionistas.

Os salários e as condições de trabalho e vida da categoria dos bancários têm se deteriorado continuamente com o golpe de Estado de 2016. A direção do banco quer aplicar uma política de fome, que rebaixe os ganhos e os salários dos trabalhadores. Não é segredo que o objetivo final é a privatização dos bancos públicos, em especial do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal.

A privatização dos bancos estatais resultará em demissões massivas e a transferência dos recursos públicos para os bancos privados. Além disso, o Estado brasileiro reduziria consideravelmente sua capacidade de intervenção na economia, para qual os bancos são alavancas importantes. O capital financeiro internacional passaria a controlar, sem qualquer tipo de obstáculos, a política econômica e de crédito do país,

É preciso que a direção nacional dos bancários deflagre uma greve nacional da categoria contra o ataque dos banqueiros e o projeto de privatização anunciado pelo governo ilegítimo de Jair Bolsonaro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas