Bandidos bons? Policiais que faziam segurança de filho de Bolsonaro são presos

O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ)

Da redação – Flávio Bolsonaro, filho do deputado e candidato à presidência Jair Bolsonaro, usa o nome do pai para ganhar votos nas eleições. Flávio concorre ao Senado, além do nome de seu pai, adota também sua retórica durante as eleições, defendendo mais repressão e mais violência contra os “bandidos”. Busca os votos dos coxinhas que dizem que “bandido bom é bandido morto”. Para desempenhar melhor essa campanha demagógica, Flávio Bolsonaro anda com policiais como seguranças em sua campanha.

No entanto, na semana passada, dois de seus seguranças, membros da polícia, acabaram sendo presos por supostamente formar uma organização criminosa. Os gêmeos Alan e Alex Rodrigues de Oliveira foram presos na Operação Quarto Elemento. A quadrilha da qual eles fariam parte seria especializada em extorsões. Os dois são irmãos de uma funcionária de Flávio Bolsonaro e teriam se aproximado por meio dela do PSL, partido do candidato de extrema-direita.

Flávio Bolsonaro negou em nota que os dois fariam parte de sua campanha. Porém, os dois policiais participavam voluntariamente de atos de campanha do filho de Bolsonaro. O político de extrema-direita não opinou sobre se os policiais simpatizantes de sua política deveriam estar mortos ou ser executados ilegalmente.