Banda Sinfônica no Recife se apresenta, embora prefeito golpista tenha fechado o Teatro do Parque

teatro do parque

Na noite da última quarta-feira, a Banda Sinfônica do Recife se apresentou, mais uma vez, no Teatro de Santa Isabel, localizado no centro da capital pernambucana. Sob regência de Nenéu Liberalquino, a Banda Sinfônica apresentou trilhas de cinema e obras consagradas do repertório erudito.

As trilhas sonoras executadas incluíram composições do americano Jerry Goldsmith, conhecido pelas obras para cinema e televisão. Já no campo erudito, o público pode contar com a interpretação das Symphonic Variations”, do compositor holandês Jacob de Haan, e do “Allegro Barbaro”, de Béla Bartók. “O Bêbado e o Equilibrista”, de João Bosco e Aldir Blanc, e “Wave”, de Tom Jobim também integraram a noite sinfônica no Santa Isabel.

Os ingressos para a apresentação da Banda Sinfônica foram distribuídos gratuitamente no Teatro de Santa Isabel. Construído na primeira metade do século XIX, o Santa Isabel conserva sua arquitetura neoclássica e já foi palco de eventos importantes para a história nacional, sendo inclusive prestigiado por Dom Pedro II.

Embora o Santa Isabel seja o teatro mais imponente – e, certamente, o mais belo – da cidade, a noite de quarta escondeu uma triste realidade: o Teatro do Parque, que era o local onde a Banda Sinfônica ensaiava regularmente e tinha pauta garantida se encontra fechado.

O Teatro do Parque, que é um dos teatros mais importantes do Estado, não abre mais ao público graças à decisão do prefeito golpista Geraldo Julio do PSB. Isso, contudo, não é nada atípico no Brasil pós-golpe: afinal, os golpistas não tiveram qualquer escrúpulo em transformar Alexandre Frota em consultor de Educação, não