Bancos só lucram
O capitalismo monopolista dos bancos amplia sua riqueza e seus lucros, na mesma proporção que amplia a fome, miséria e pandemia para os trabalhadores
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
bancos lucram (1)
Banqueiros lucram às custas da fome e do desemprego | ptnosenado.com.br

No país do golpe, mais uma vez boas notícias só para os grandes capitalistas, como os banqueiros. Já em 2019 os bancos fecharam as contas com um aumento superior a 30% nos seus lucros, mesmo assim, recorreram à milhares de demissões para otimizar seus resultados financeiros em 2020. Esse é o grande paraíso dos banqueiros no meio do inferno da classe trabalhadora. Em 2019, os lucros nos bancos bateram recordes. O lucro dos cinco maiores bancos do país somou R$ 108 bilhões no ano passo, uma alta de 30%,3% em 12 meses.

Os superlucros dos bancos, mesmo em meio às crises econômicas e à crise sanitária, continuam a se ampliar. Vale destacar sempre, que os banqueiros receberam de Paulo Guedes e Jair Bolsonaro, 1,2 trilhões de reais, para reverterem em empréstimos a classe operária e à classe média e com isso triplicar em pouco tempo o valor roubado do dinheiro público na mão do governo fascista. Enquanto isso os bancos demitiram e descumpriram acordos coletivos de trabalho, como de não dispensar seus funcionários durante a pandemia, ampliando o mar de desemprego brasileiro, que pela primeira vez na história fez a mão de obra de reserva(desempregados) ultrapassar o número de trabalhadores empregados.

O lucro líquido somado de Itaú Unibanco, Santander, Bradesco e Banco do Brasil – quatro dos principais bancos no Brasil – foi de R$ 15,582 bilhões no terceiro trimestre de 2020.

O valor é 28% maior que o registrado no segundo trimestre (R$ 12,164 bilhões), apesar de ser 19,2% menor que os R$ 19,277 bilhões do mesmo período em 2019.

Enquanto os trabalhadores se afundam no desemprego, na miséria e na fome, para os bancos a ampliação dos lucros continua numa espiral ascendente, esse já é o melhor resultado de 2020 – o lucro conjunto dos quatro bancos foi de R$ 13,762 bilhões e R$ 12,164 bilhões, no primeiro e segundo trimestre, respectivamente.

Além disso, os grandes bancos, verdadeiras aves de rapina, querem ampliar seu enorme tesouro, com o apoio do governo de extrema direita brasileiro, buscam a chamada autonomia do BC (Banco Central), para que não haja nenhum controle político ou pressão popular que atrapalhe os interesses dos banqueiros, colocando nas mãos dos bancos o controle direto do órgão responsável pela política monetária.

O projeto de autonomia do BC é apoiado pelos setores financeiros e é uma das principais bandeiras do governo Jair Bolsonaro (ex – PSL, sem partido) e do ministro da Economia, Paulo Guedes. O capital financeiro internacional procura firmar um controle sobre a política econômica do país, de forma a garantir o atendimento de seus interesses econômicos.

O objetivo da política fascista é blindar o BC de interferência de governos e partidos políticos que não tenham alinhamento com a política do imperialismo, mesmo que seja um governo de tipo nacionalista burguês moderado com os que ascenderam na América Latina como resultado da insurreição popular contra o neoliberalismo.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas