Descaso dos banqueiros
Há várias denúncias de descumprimento das medidas de segurança de proteção ao contágio do coronavírus por parte dos banqueiros do Itaú
Agência do banco Itaú na Avenida Paulista, em São Paulo
Banco do Itaú | Foto: Reprodução

A direção golpista do Banco Itaú vem sistematicamente descumpridor o Acordo Coletivo de Trabalho Emergencial, feito durante a pandemia do coronavírus.

O fato mais grave, além da questão do banco de horas em que o banco vem sabotando a entrega dos computadores para quem está em modo telebralho, é o total desprezo do banco em relação à proteção dos trabalhadores, principalmente no momento em que o país passa pelo aumento gigantesco em relação à contaminação pelo coronavírus.

A Comissão de Organização dos Empregados do Itaú (COE/Itaú) apresentou à direção da empresa várias denúncias de descumprimento das medidas de segurança de proteção ao contágio do Covid-19, tais como a realização de testes nas agências para todos os funcionários e, o banco logo de pronto respondeu, mais uma vez, com uma negativa com a justificativa esfarrapada de que levará o tema para a mesa de negociação unificada entre o Comando Nacional dos Bancários e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Perguntado à direção do banco sobre a questão da higienização das agências, a resposta foi de que estão sendo feitas no prazo entre 48 e 72 horas, sendo que, na verdade, ninguém de fato presencia tal ação do banco.

Outra denúncia grave é que os trabalhadores terceirizados, tais como vigilantes e trabalhadores da limpeza em agências contaminadas estão sendo transferidos para outras agências sem que se faça teste, ou seja, aumenta a probabilidade da propagação do contágio.

As agências bancárias são um ambiente adequado para a propagação do contágio do novo coronavírus. Vários pessoas estão sendo contaminadas o que já levou a óbito diversos trabalhadores bancários, isso sem falar das diversas pessoas que se dirigem às agências bancárias que foram contaminas, mas não se tem uma estatística sobre esses casos. É evidente que as poucas medidas de segurança adotadas pelo Banco Itaú não dá conta do risco que os trabalhadores estão passando, quem dirá dos clientes.

Os trabalhadores bancários e a população, que necessita dos serviços bancários estão na linha de frente para o alastramento do contágio do Coronavírus. As medida de proteção devem ser tratadas com a devida urgência já que se trata de um ambiente extremamente propício para a propagação do doença. Para evitar que haja mais mortes pela contaminação é necessário o fechamento imediato do atendimento presencial nas agências, enquanto persistir a mínima possibilidade de contaminação no ambiente de trabalho; abertura de todos os caixas de auto-atendimento e de todas as suas funções; ampliação do horário de funcionamento dos caixas eletrônicos; redução da jornada de trabalho para 4 horas diárias para todos, com completa flexibilização do horário de entrada e saída; contratação imediata de novos funcionários; são algumas das reivindicações que devem ser atendidas já. Para evitar uma maior superexploração dos trabalhadores, e mais mortes pela contaminação do Covid-19, é necessário o fechamento imediato do atendimento presencial nas agências e chamar uma greve da categoria para forçar o atendimento de todas as reivindicações dos trabalhadores que estão sendo descomprimas pelos bancos.

Relacionadas
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments