Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Caixa-Economica-Federal1
|

Direção, golpista e privatista, da Caixa Econômica Federal realizou um megaevento em Brasília, com a presença de mais de 6 mil gerentes do país inteiro, para anunciar as novas medidas que têm como pano de fundo pavimentar, ainda mais, o caminho da privatização do banco.

Em um megaevento realizado no último dia 16 de abril, no Estádio Mané Garrincha na Capital Federal, que contou com a participação de mais de 6 mil gerentes de todo o país, os prepostos do governo golpista de Michel Temer à frente do banco anunciaram medidas que visam atacar a empresa e seus trabalhadores, cujo objetivo é transformar a CEF, que é um patrimônio do povo brasileiro, em um banco comercial, para logo em seguida entregá-lo nas mãos dos abutres banqueiros nacional e internacional.

O megaevento foi realizado para dar continuidade ao processo de reestruturação na CEF (no último período a direção golpista da Caixa já colocou no olho da rua cerca de 10 mil trabalhadores, com o fechamento de dezenas de agências, descomissionamento de trabalhadores em massa, transferências compulsórias etc.) teve como tema principal o anúncio do encerramento de mais 100 agências, a meta da profissionalização do banco (diga-se uma missão meramente em busca de negócios) e atuar com uma independência maior do governo federal, ou seja, retirar da Caixa, uma empresa 100% publica, a sua função social decorrente a financiamento imobiliário, saneamento básico e infraestrutura com taxas abaixo do mercado para a população, e passar a ser um banco meramente comercial que tem como objetivo dar lucro para meia dúzia de parasitas capitalistas.

Os golpistas já começaram a fazer o fatiamento do banco, como foi anunciado pelo Ministro golpista do Ministério da Fazenda, Henrique Meirelles, através da entrega da Lotex da Caixa, um dos setores de maior rentabilidade para o banco para passar para capitalistas nacionais e internacionais. Estão também na lista dessa entrega o setor de seguridade do banco e a quebra do monopólio da administração dos recursos do FGTS na ordem no valor de R$ 300 bilhões para beneficiar os banqueiros do Bradesco e do Santander.

É necessário barrar esta ofensiva, e a única forma para isso é levantar uma ampla mobilização que unifique os bancários e todos trabalhadores contra o golpe e o imperialismo. Sem barrar o golpe todos dos direitos conquistados pelos trabalhadores estão em risco. Por isso é preciso organizar a mobilização de toda a categoria bancária, junto com todos os trabalhadores, colocando nas ruas uma intensa mobilização para derrotar o golpe e a anulação de todas as suas medidas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas