jair_bolsonaro_1-1965973
|

Nesta última terça-feira (25), a Guarda Civil espanhola descobriu que a comitiva brasileira para o G20 – que contava com a presença de Bolsonaro – levava para o Japão uma carga de aproximadamente 39 kg de cocaína.

Chamou a atenção dos empregados do aeroporto de Sevilha, local onde a droga foi apreendida, o fato de que aparentemente não havia qualquer preocupação da tripulação em ocultar a cocaína, já que os 37 tijolos de entorpecentes estavam sendo transportados em malas comuns dos militares.

O dono da mala, um sargento da Aeronáutica, foi imediatamente acusado como único responsável pelo transporte da droga, algo muito comum no tráfico internacional de drogas, onde a chamada “mula” – ou seja, o transportador direto – normalmente responde sozinho pelo crime, ocultando a organização que está por trás da operação.

Seguindo este esquema, o presidente golpista Bolsonaro, apressou-se em postar mensagem pelo Twitter, esquivando-se de qualquer responsabilidade pessoal, afirmando que havia sido “informado”, “hoje pela manhã”, sobre um “militar da aeronáutica portando entorpecentes” (sic). E dando uma de durão, Bolsonaro termina prometendo julgamento e condenação ao militar, “na forma da lei”.

Ao que parece, no entanto, as esquivas do fascista não convenceram.

Nas redes sociais, o episódio já foi apelidado de “BolsoNarcos”, e figurou entre os assuntos mais falados no Twitter, no dia 26, estando em primeiro lugar por várias horas. Além de receber todo tipo de “memes”, comparando Bolsonaro com uma espécie de Pablo Escobar, retratado pela série “Narcos”, além da referência óbvia com o caso do “helicoca”, de Aécio Neves.

E de fato, o fascista não explica o principal: como uma quantidade destas de drogas pôde chegar à comitiva presidencial, ainda mais em uma mala comum, sem ser pega anteriormente por nenhuma autoridade brasileira, nem mesmo as que deveriam zelar pela segurança presidencial?

Como é óbvio que toda a bagagem que segue com uma comitiva onde está presente o próprio Presidente da República, ainda mais em aviões da FAB, deve ser objeto de revista minuciosa. Por isso, para o povo em geral não restou qualquer dúvida quanto ao BolsoNarcos. O que se gostaria de saber, na verdade, é quem seriam os consumidores da droga.

Com a vergonha internacional que representa um avião presidencial ser reduzido a condição de mula de tráfico de drogas, fato provavelmente único na história, fica mais uma vez claro que justamente aqueles que usaram e abusaram das demagogias moralistas para seus fins golpistas – tentando convencer que militares e direitistas são seres além de qualquer suspeita – são exatamente eles os maiores pilantras e criminosos, capazes de absolutamente tudo para chegarem aos seus objetivos, onde certamente não se inclui nenhum dos urgentes interesses da população brasileira.

Enquanto a economia brasileira despenca à deriva, com milhões de desempregados chegando rapidamente ao limiar da miséria, o presidente fascista está à vontade para passear em aviões da FAB recheados de cocaína. Este é o resultado claro e sintomático do golpe e da fraude, quando o poder é usurpado por golpistas e o povo é colocado totalmente de lado.

Por tudo isto não há mais como alimentar ilusões: ou derruba-se imediatamente este governo ou veremos o nosso povo e o nosso país ser arruinado, literalmente reduzido a pó.

Relacionadas