Universidades precisam ser públicas, ao contrário do plano da direita

juventude-UNE-democracia-manifesta----o-Foto-UNE-2 (1)

A União Nacional dos Estudantes (UNE) apresentou uma proposta de lei sobre autonomia financeira das universidades, esta proposta está no programa da UJS, que está à frente na chapa “Tsunami da Educação”. Esse projeto dá a possibilidade das IFES captarem recursos elas próprias, de maneira autônoma e isso fica claro no programa da chapa agora eleita, “Tsunami da Educação”.

Por coincidência, ou não, FUTURE-SE, programa do governo golpista e de caráter privatista, que objetiva acabar com as universidades públicas, tem como base central a mesma proposta absurda de autonomia financeira, que a UNE está propondo. Ou seja, submeter a educação às vontades dos empresários, bancos, e outros meios privados que possam estar envolvidos.

Erros podem ser cometidos, mas as inúmeras capitulações e vacilações que a esquerda vêm caindo, é fatal. O perigo de uma coalizão escancarada com instituições que, historicamente, são aparatos da política da burguesia, é se transformar numa esquerda liberal por completo, que só dá atenção às perfumarias da vida política e se esquece que a luta deve ser no campo de classes.

A tese da chapa vencedora, traz o seguinte “A segunda garante que as universidades possam captar receita própria, sem que isso conte com o montante geral do orçamento. Estes recursos normalmente são captados através de acordos com entes públicos e privados, como governos estaduais, municipais e até mesmo órgãos federais. Tal conquista foi fundamental para que milhares de bolsas da CAPES não fossem cortadas e programas não fossem extintos, além de dar um fôlego maior para a pós-graduação brasileira.”

Esse trecho deixa claro, com todas as letras, que o financiamento privado pode substituir o financiamento público e, na prática, isso significa submeter às universidades públicas aos desejos dos empresários que vão financiá-las, o que é obviamente um perigo para a autonomia do ensino público. É como se a burguesia quisesse mostrar que somente o setor privado tem as soluções para os problemas dos serviços públicos, que a direita faz de tudo para que não funcionem mesmo. É uma verdadeira armadilha de todas as formas.