Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Screen Shot 2018-06-08 at 5.31.17 PM
|

Nesta sexta-feira (8), a Áustria decidiu que irá fechar sete mesquitas, financiadas pelo governo da Turquia. É mais um capítulo da perseguição aos muçulmanos no marco de um deslocamento à direita da Europa em crise. O governo austríaco alega que haveria “engajamento político” dentro das mesquitas, o que foi considerado pela Turquia uma atitude racista e contra o islamismo. A Áustria também expulsará líderes muçulmanos.

Em seu perfil do Twitter, Ibrahim Kalin, representante do presidente turco, Tayyip Erdogan, afirmou: ” O encerramento de sete mesquitas e a expulsão de imãs é o resultado da onda populista, islamofóbica, racista e discriminatória neste país”.

O chanceler da Áustria, Sebastian Kurz, que compõe o partido cristão conservador, anunciou o encerramento das mesquitas no país, onde pontuou que as mesma seriam “centros” onde crianças seriam doutrinadas para o “islã político”, ressaltando a mesquita de Viena, onde estaria havendo a reconstituição de cenas que remetem à história da batalha otomana, representada por crianças.

Tendo um posicionamento ainda mais incisivo declarou o chefe de governo da Áustria à imprensa: “Sociedades paralelas, o islão político e a radicalização não têm lugar no nosso país”. Os imãs (lideres religiosos) podem até perder a residência na Áustria, segundo afirmou Herbert Kickl, ministro do Interior.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas