Parar pela vida
População de cidades inteiras podem ser contaminadas pelo coronavírus, devido à irresponsabilidade dos patrões, donos de frigoríficos, como é o caso de Fátima do Sul em MS
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Entrada de frigorífico do grupo JBS/Friboi
entrada de frigorifico JBS - foto: DCO |

Frigoríficos não conseguem mais esconder os trabalhadores infectados pelo coronavírus, espalhados pelo Brasil.

Neste sábado (16) foram confirmadas mais quatro pessoas contaminadas pelo coronavírus na cidade de Fátima do Sul, Mato Grosso do Sul, aumentando para cinco pessoas testadas positivas. A cidade em 2019 contava com uma população de pouco mais de 19 mil.

Mato Grosso do Sul é um dos estados do país onde o desenvolvimento da pecuária é muito grande, principalmente relacionada a bovinos, mas também aves, consequentemente há uma concentração de frigoríficos abatedouros. Inclusive de grandes frigoríficos. No caso de Fátima do Sul, no frigorífico JBS/Friboi foi onde os trabalhadores testaram positivo.

Em Vicentina, também em MS, o prefeito, a contragosto e diante do crescimento exponencial da contaminação pelo coronavírus, resolveu pedir o fechamento de um frigorífico por 15 dias. A cidade, até agora, tem um caso confirmado, também uma funcionária da JBS.

O sítio na internet Campo Grande News afirma que o prefeito Marcos Benedetti (MDB) citou mais três casos suspeitos no frigorífico da cidade. “Só a paralisação total pode evitar a proliferação do vírus em Vicentina e região”.

As péssimas condições de trabalho impostas pelos patrões em seus frigoríficos e a proximidade em que os trabalhadores ficam fazem com que todos os estejam vulneráveis ao coronavírus.

Porém, esses patrões, visando cada vez mais o aumento dos lucros, procuram esfolar os trabalhadores até o limite e contam com o governo golpista do fascista Bolsonaro para isso.

Em Mato Grosso do Sul existem inúmeros casos de trabalhadores contaminados pelo coronavírus, porém, procuram a todo custo esconder a realidade, que é de verdadeira calamidade, pelo simples fato de terem que honrar com seus contratos de exportação. Principalmente, não por acaso que, a maioria das denúncias relacionadas ao coronavírus e que envolvam processos e/ou investigações estão sendo feitos em segredo de justiça. A golpista e Ministra da Agricultura Tereza Cristina, natural de Campo Grande, capital de MS, falou que o setor de frigoríficos não pode parar porque traz bilhões de dólares ao país.

A situação em que os trabalhadores se encontram, diante do total desrespeito dos patrões por suas vidas, pode levar um contingente enorme de trabalhadores à morte e, no caso de Fátima do Sul, entre outros municípios espalhados pelo Brasil vão levar familiares e o conjunto da população que residem nas proximidades. O que os patrões estão fazendo é um extermínio em massa pelo lucro de suas fábricas.

Aos trabalhadores só há uma alternativa, ou seja, a paralisação imediata das atividades para preservarem suas vidas.

Formarem comitês de fábrica para debaterem imediatamente sobre essas medidas, como suspensão das atividades por exemplo, sem que sejam rebaixados os salários. Desconsiderar totalmente a MP 936/2020, a medida provisória da fome e do desemprego, imposta pelo fascista Bolsonaro.

Redução da jornada de trabalho, sem redução dos salários;

Fornecimento de equipamentos de proteção e segurança, como mascaras, luvas, álcool gel, etc., para todos os trabalhadores.

Fora Bolsonaro e todos os golpistas.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas