Aumentam as pressões contra a Rússia: imperialismo exige libertação de marinheiros ucranianos

Birds fly past a road-and-rail bridge, which is constructed to connect the Russian mainland with the Crimean peninsula, at sunrise in the Kerch Strait, Crimea

Da redação – Com os recentes conflitos entre Rússia e Ucrânia, as tensões entre o imperialismo e o maior país do mundo aumentaram.

Os Ucranianos circularam em águas russas (no estreito de Kerch) como forma de provocar o país, e receberam um aviso dos russos, que atacaram os barcos e prenderam os marinheiros que ali estavam presentes.

A provocação veio claramente do governo ucraniano, que é controlado pelo imperialismo norte-americano e europeu – que tem em seus principais pilares a França e a Alemanha.

Dessa forma, os dois chefes de estados dos tais países, Emmanuel Macron e Angela Merkel, “denunciaram” a Rússia por ter prendido 24 marinheiros que cruzaram ilegalmente a fronteira do país.

A pressão contra a Rússia, entretanto, não é simplesmente para que libertem os marinheiros invasores, mas também para que cedam as águas no estreito de Kerch – muito importante do ponto de vista da estratégia para os russos.

“Nós exigimos trânsito seguro, livre e desimpedido para todos os navios através do estreito de Kerch”, disseram os regimes alemão e francês.

O “trânsito seguro, livre e desimpedido” é na verdade liberar para que o imperialismo seja “desimpedido” de atuar dentro da região e atacar ainda mais a Rússia.