Atriz imigrante é alvo de ataques de racistas na frança

DWrvxQBXkAAzKJV

A escolha de uma jovem de origem africana para encarnar a heroína francesa, branca e considerada santa católica, Joana D’arc, gerou uma onda de insultos racistas nas redes sociais.

O evento muito tradicional na França, que este ano está 589° edição, tem o nome festa de Joana D’arc. A estudante Mathilde Gamassou , de 17 anos, ganhou o  concurso para protagonizar a heroína francesa. A jovem atriz de origem imigrante de pai africano e mãe polonesa, foi vitima xenofobia pela internet.

Por ser uma festa muito popular, o governo demagogicamente teve que intervir, dizendo que iria prender os racistas internautas. Mesmo Marine Le Pen, um espécie de Bolsanaro local, do partido ultranacionalista Frente Nacional, veio a publico para defender a jovem atriz.

Ironicamente, Joana D’arc, filha de camponeses foi queimada por lutar contra a injustiça e a ocupação Inglesa, na guerra dos cem anos.

“Ela é cristá e as pessoas dizem coisas boas sobre ela. Mas, se o governo quisesse respeitar a historia deveria ter escolhido alguém que, se parecesse com Joana D’arc, ou seja, uma mulher branca”, afirma a estudante Valentim, 18, uma das criticas das redes sociais.

A situação evidencia que existe uma ascensão da ideologia direitista em toda Europa. Que de maneira preterível deu a vitória ao atual governo francês, que vem atacando duramente os trabalhadores e sendo alvo de grandes protestos.

Tanto quanto na França, como no Brasil, temos uma intensificação da ideologia conservadora tipo fascista, apoiada pelo Estado, como vimos no assassinato da vereadora carioca Marielle Franco ao nos ataques à caravana do ex-presidente Lula, no ataque ao acampamento em Curitiba, com tiros ou o mais recentemente do ataque do delegado da Policia Federal.