Siga o DCO nas redes sociais

Priatização
Atos marcam dia de defesa dos bancos públicos em Brasília
Trabalhadores organizam atos em defesa dos bancos públicos em Brasília
bancarios
Priatização
Atos marcam dia de defesa dos bancos públicos em Brasília
Trabalhadores organizam atos em defesa dos bancos públicos em Brasília
Ato em defesa dos bancos públicos.
bancarios
Ato em defesa dos bancos públicos.

No dia 4 de outubro, conforme deliberado pela Plenária Sindical Contra as Privatizações, aconteceram atos, organizado pelo Sindicato dos Bancários de Brasília, em defesa dos bancos públicos.

Além das panfletagens nas agências bancárias, principalmente no Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Banco Regional de Brasília, em que os militantes chamavam a atenção dos bancários e dos clientes da ameaça da privatização dos bancos por parte do governo Bolsonaro, aconteceram atos públicos na praça do Trabalhador, localizada no Setor Comercial Sul, no centro da Capital Federal e, no final da tarde, na plataforma da rodoviária do Plano Pilotom onde há um grande fluxo de pessoas que se dirigem para suas casas depois de um dia de trabalho.

Os bancos públicos estão na mira da direita golpista, tanto dos governos golpistas a nível federal, quanto estadual (o governador do Distrito Federal, Ibaneis, já declarou que pretende privatizar o Banco de Brasília). Não é por acaso que as direções golpistas do BB e da CEF estão entregando para os capitalistas estrangeiros as suas subsidiárias, reduzindo, drasticamente, o quadro funcional, fechando centenas de agências, tentativa de liquidar com os planos de saúdes dos funcionários, etc. Recentemente, o neoliberal Ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou uma lista de 17 estatais para venda, e o preisdente ilegítimo Bolsonaro declarou que as privatizações estão muito demoradas, que seria preciso privatizar uma estatal por dia. Na verdade, o que está por trás das privatizações é a entrega do patrimônio do povo brasileiro para meia dúzia de banqueiros e capitalistas em crise.

Os atos que aconteceram em Brasília, e no país inteiro, em defesas das empresas estatais devem ser intensificados para a organização de uma gigantesca mobilização para organizar a greve geral das estatais. A vitória dos trabalhadores somente poderá estar assegurada se houver uma radicalização da luta através das ocupações das empresas, como medida de força para impedir as privatizações das estatais e barrar a entrega do patrimônio do povo brasileiro pelo governo golpista, capachos dos banqueiros e capitalistas estrangeiros.

Essa vitória só estará assegurada com a derrubada do governo golpista. Fora Bolsonaro e todos os golpistas! Liberdade para Lula! Eleições Gerais!